Comércio do ABC espera crescimento de até 13% nas vendas de Natal

Decoração natalinas, promoções e brindes alavancam público nos centros comerciais / Foto: Forlan Magalhães

Os comerciantes de brinquedos e presentes estão otimistas sobre as vendas do Natal, com expectativas de crescimento de vendas de 5% a 13% melhores em relação ao ano passado, quando a data movimentou R$ 300 milhões no ABC, segundo o levantamento do Observatório Econômico da Universidade Metodista de São Paulo. Os shoppings da região têm as melhores apostas.

Segundo o presidente da Associação dos Lojistas do Shopping ABC, Luiz Sobrinho, a faixa de crescimento é ampla, porém positiva. “Acredito que o shopping deve estimular um crescimento de vendas de 5 a 10% e um aumento positivo de fluxo em relação ao mesmo período de 2011”, diz.

Decorações típicas, sorteios e promoções estão ‘na manga’ para alavancar consumidores de Natal. O Shopping ABC, em Santo André, inaugura no dia 24 de novembro a decoração da campanha, que vem com o tema Doces e Guloseimas e sorteia vales no valor de R$ 30 mil e viagens.

Com investimento de R$ 1,6 milhão na campanha, R$ 800 mil apenas em decoração, o Central Plaza Shopping, divisa de São Paulo com São Caetano, espera incremento de vendas de 13% e 11% de público, se comparado ao Natal do ano passado. O centro comercial acaba de inaugurar sua decoração, inspirada no mar e navegação com o Papai Noel.

O Mauá Plaza Shopping aposta na expansão de 8 mil m² e 34 lojas prevista para a primeira quinzena de dezembro. “Com maior área física e mais lojas, esperamos um crescimento de público de 15% e de 12% em vendas em relação ao Natal passado”, afirma Ariane Oliveira, gerente de Marketing do shopping em Mauá, que inaugura a decoração dia 11, focada na história do Menino Jesus.

Outro que apostou na expansão física para aproveitar as vendas de Natal foi o Armarinhos Fernando. Com 16 lojas na Grande São Paulo e duas no ABC, a rede de variedades inaugura nesta quinta-feira (1°) mais 2 mil m² na unidade do centro de Santo André. Destinada a brinquedos e produtos natalinos, a filial vai dobrar a capacidade de ofertas. “Com a expansão, aumentamos em 80% nossos estoques nesta loja, que tem correspondido as nossas expectativas, daí o investimento”, afirma Ricardo Lopes, assessor de Marketing e Expansão da rede, que não informa o valor do investimento.

Panetones

Já quando o assunto é panetone, a Juliana Pães, fabricante em Santo André, espera um crescimento de 5% a 6%. “Apesar de termos um plano estabelecido, há grande preocupação quanto ao aumento de insumos da produção de panetone, pois farinha, fruta cristalizada e uvas passas tiveram reajuste desproporcional em relação aos anos anteriores”, analisa Vagner Davi dos Reis, gerente comercial. A empresa investiu 10% a mais na produção, que começou em agosto, e espera aumento de 10% na venda de pães e de 5 a 6% de panetones em relação a 2011.

Lojista deve vender à vista 

Com base em fatores, como endividamento e expansão estagnada do poder de consumo, Sandro Maskio, coordenador de Estudos do Observatório Econômico da Metodista, tem previsão otimista em relação ao crescimento das vendas no Natal. “Acho que 5% de aumento é o melhor resultado que podemos esperar. Não vejo espaço para crescer mais que isso”, diz. No ano passado o faturamento do Natal foi 3,4% maior que o de 2010, contra expectativa de 4%, segundo a Fecomercio. 

Para o especialista, o consumidor vai gastar menos na compra de presentes de Natal. A previsão é baseada no resultado da pesquisa de expectativa de vendas para o Dia das Crianças, na qual a pretensão de gasto de presentes caiu de R$ 225 para R$ 199. “A pesquisa de outubro é o principal indicador do que vai acontecer no Natal e esta apresentou um dado alarmante”, analisa o professor. (Colaborou Nathália Blanco)

Receba diariamente o RD em seu Whatsapp
Envie um WhatsApp para 11 99927-5496 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários