Escolha de caça será após eleições na França, diz Marinho

A decisão do governo brasileiro sobre a compra dos novos caças para a FAB (Força Aérea Brasileira) deverá ocorrer logo após as eleições presidenciais da França, marcadas para abril e maio deste ano (primeiro e segundo turno). A informação, passada nesta terça-feira (6/3) pelo prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho, durante evento que debateu oportunidades e investimentos na indústria de defesa, reforça a afirmação feita no início do ano pelo ministro da Defesa, Celso Amorim, que havia informado que esperava para o primeiro semestre deste ano a decisão.

O processo de escolha do modelo que será adotado pela Força Aérea Brasileira começou ainda na gestão do ex-presidente Lula e envolve os modelos Rafale (da francesa Dassault), o F-18 Super Hornet (da americana Boieng) e o Gripen (da sueca Saab).

Parcerias

De olho nas novas oportunidades e no fomento da indústria de Defesa no município, São Bernardo instalou em maio do ano passado o CISB (Centro de Inovação Sueco-Brasileiro), em parceria com a multinacional Saab.

Também está agendada uma segunda rodada do questionário elaborado pela Boeing Company junto a empresas do ABC na captação de novos subfornecedores. “Vamos fazer uma nova rodada de seleção porque muitas empresas ficaram de fora”, comentou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Jefferson José da Conceição. “Das sete pré-selecionadas, duas fora escolhidas para se tornarem fornecedoras da Boeing”, explicou.

Ainda segundo a administração, as negociações com membros da francesa Dassault prosseguem, após a assinatura de um primeiro Acordo de Cooperação entre o grupo, a UFABC (Universidade Federal do ABC), a Fatec e a Prefeitura.

São Bernardo quer identificar empresas e catalogar itens para indústria de defesa

São Bernardo sediou nesta terça-feira (6/3) reunião com representantes da Abimde (Associação Brasileira das Indústrias de Defesa e Segurança), do Ministério da Defesa e com o empresariado do município com o objetivo de identificar empresas e produtos oriundos da região que podem ser incorporados na indústria de defesa do País.

Entre as ações desenvolvidas, a Abimde, em parceria com a Universidade Federal Fluminense, realizará pesquisa em todo o território nacional para identificar o potencial das empresas brasileiras em se tornarem fornecedoras ou até mesmo exportadoras de itens e tecnologia no setor de defesa. A expectativa é que o questionário seja aplicado nas próximas semanas na região. “Levaremos este questionário para as empresas interessadas via Consórcio Intermunicipal e via Ciesp”, explicou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Jefferson José da Conceição.

“Precisamos identificar o que temos e o que não temos aqui no Brasil. Muitas vezes importamos algo sem saber que as indústrias do nosso País já oferecem”, defendeu o diretor do Departamento de Produtos de Defesa do Ministério, general Aderico Mattioli. Para que isso seja possível, durante o encontro também foi apresentado o Siscat-BR (Sistema de Catalogação Brasileiro), do CECAFA (Centro de Catalogação das Forças Armadas).

O empresário interessado em obter informações sobre como se tornar um fornecedor da indústria da defesa brasileira pode entrar em contato com a Secretaria de Desenvolvimento, pelo telefone 4348-1053 ou encaminhar e-mail para eleni.mariano@saobernarco.sp.gov.br . “Faremos uma ligação entre os empresários e o Ministério da Defesa”, acrescentou o secretário de Desenvolvimento de São Bernardo.

Receba diariamente o RD em seu Whatsapp
Envie um WhatsApp para 11 99927-5496 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários