ABC - terça-feira , 18 de junho de 2024

“Procedimentos baratos podem representar riscos”, diz dermatologista

Na busca incessante pela aparência dita como perfeita, muitas pessoas buscam uma série de procedimentos estéticos e, em alguns casos, optam por opções mais acessíveis e que cabem no bolso. No entanto, a médica dermatologista no Hospital e Maternidade Brasil, Giuliana Miranda, alerta que essa “economia” pode gerar prejuízos quando se trata da saúde da pele.

Em entrevista ao RDtv, Giuliana afirma que em muitos casos, profissionais não qualificados diluem o produto mais vezes do que deveria, o que faz com que o preço do procedimento diminuía. “Um item de qualidade é caro, não é algo que custa R$200 ou R$300, principalmente o botox. É extremamente que as pessoas não caiam em falsas promessas de um procedimento muito barato porque se alguém está cobrando esse valor, o produto será quase todo água e mal terá a toxina botulínica”, diz.

Newsletter RD

Médica afirma que valores baixos significam diluição em grande quantidade de um produto

A dermatologista orienta para que qualquer pessoa que irá fazer um procedimento estético deve se certificar de que a embalagem do produto corresponda ao procedimento e pedir para que o especialista mostre o que está sendo utilizado. “No caso do preenchimento com ácido hialurônico, a embalagem precisa estar fechada já que ele deve ser usado uma vez em um único paciente. O médico precisa estar disposto a mostrar o que ele está utilizando e, ao acabar o procedimento, mostro para ele que estou descartando o que restou porque não posso utilizar em outra pessoa”, completa.

Giuliana frisa a importância de buscar médicos dermatologista ou cirurgiões plásticos devidamente capacitados e especializados naquilo que o paciente procura. “Para garantir que o seu médico é competente, é interessante pesquisa o nome dele no site do Cremesp, onde irá aparecer o número do Conselho Regional de Medicina dele e, se ele for especializado, o RQE (Registro de Qualificação de Especialidade Médica). Caso o médico não tenha o RQE, recomendo buscar um que seja realmente especializado”, reforça.

A médica comenta ainda sobre a importância de saber quando parar com os procedimentos ou até perceber quando eles não são necessários. “Minha dica é procurar um profissional que, ao olhar pra ele, não esteja repleto de intervenções no rosto. Um especialista precisa ter muito cuidado com aquilo que ele coloca no rosto de alguém e, se ele não tem esse cuidado com si mesmo, é algo preocupante”, finaliza.

Receba notícias do ABC diariamente em seu telefone.
Envie a mensagem “receber” via WhatsApp para o número 11 99927-5496.

Compartilhar nas redes