Academia Mauaense de Letras e Artes nasce inspirada na obra de Paulo Freire

No dia 8 de agosto o ABC ganhou a segunda academia de letras e artes, desta vez em Mauá, inspirada no educador e filósofo Paulo Freire. Na presidência, o jovem pedagogo José Alex Trajano, de apenas 25 anos, que falou em entrevista ao RDtv sobre os trabalhos e a importância da instituição, criada pela da Associação Comunitária Educacional Cícera Tereza dos Santos, responsável pela alfabetização de mais de 500 idosos no município.

A Academia Mauaense de Letras e Artes Paulo Freire, o nome oficial, ainda está em fase de implantação das atividades. Serão, 40 cadeiras para acadêmicos de Mauá, da região e do Brasil, que vão realizar troca de experiências e contribuições. “A escolha será pelas produções, o que trazem a respeito da nossa literatura e as discussões onde todos sejam valorizados”, explica.

Alex Trajano trabalha com a Secretaria de Cultura e Juventude da cidade para fazer o levantamento dos escritores e artistas para as cadeiras e as contribuições de cada um. Segundo o jovem, o nome ressalta o valor da instituição. “Falar em Paulo Freire é falar em resgate da cultura popular e justamente é nessa perspectiva que trabalhamos, o respeito ao próximo”, comenta.

A Academia ainda não está com os trabalhos ativos, devido a pandemia, mas já começou com desafios, um deles não poder planejar reuniões e interações para partilhar os saberes. “Esse momento de pandemia é de separação, a questão do contato é uma das principais dificuldades nossas”, diz.

Mas Alex Tajano já traça ações, como o lançamento do Prêmio Poetisa Cora Coralina, que ja tem até autorização da filha da poetisa para emprestar o nome. O objetivo, diz, é homenagear profissionais da educação, artistas, cultura e mulheres que se destacam em prol dos direitos e empoderamento feminino.

Natural da Paraíba e de família humilde, Alex Trajano é um idealista. Foi ele quem criou em 2009 a associação, que leva o nome da avó. “Ela morreu sem saber escrever o nome, acredita?”, questiona. Com a pandemia do novo coronavírus o projeto com os idosos deu uma parada. “Realizávamos as aulas na minha casa, mas nesse momento estamos em busca de uma sede para tentar voltar, porque vamos precisar de mais espaço ”, completa.

Quem quiser ajudar o contato pode ser feito pelo e-mail [email protected] ou telefone 4511-6502 e 99936-8786.

Receba diariamente o RD em seu Whatsapp
Envie um WhatsApp para 11 99927-5496 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários