FHC defende financiamento público de campanhas

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) defendeu hoje o voto distrital misto e o financiamento público de campanha para acabar com a corrupção no País. “Ou se introduz o voto distrital misto agora ou não haverá reforma política. Ou fazemos financiamento público ou não se acaba com a corrupção”, afirmou ele ao participar de seminário do PSDB em um hotel de Brasília.

Em discurso acompanhado das principais lideranças tucanas, Fernando Henrique disse que hoje o País tem todo o arcabouço da democracia, como voto e as eleições, menos a alma dela, que é a crença de que a lei é para valer e todos são iguais perante ela. Para o ex-presidente, assistimos hoje a um “um continuo desrespeito” da lei. “O que dizer dos escândalos que nós assistimos nesses anos todos? Quem está preso? Não precisa ser tanto. Quem passou pelo tribunal para ser absolvido, mas que passe pelo tribunal. Não existe respeito à lei”, afirmou.

“Como não existe respeito à lei, como não existe igualdade, voltamos ao velhos tempos de que a lei é para os inimigos e para os amigos se passa a mão. São os estranhos, são pessoas que fazem as coisas um pouco alopradas mas, enfim, coitadinhos”, disse Fernando Henrique. No ano passado, em meio ao escândalo do dossiê Vedoin, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva chamou de “aloprados” petistas suspeitos de estarem por trás da confecção do dossiê contra tucanos.

Serra e Aécio

O governador de São Paulo, José Serra, fez coro a Fernando Henrique e também defendeu o voto distrital misto já para as eleições municipais do ano que vem. Segundo proposta do governador paulista, ele poderia ser introduzido nas cidades de maior coeficiente eleitoral. O governador de Minas, Aécio Neves, encerrou sua rápida fala dizendo o que tucanos esperavam ouvir dele. “Não sei por onde vou caminhar (nas eleições de 2010), mas tenho certeza que irei caminhar ao lado de cada um do PSDB.”

Comentários