Arquiteto Edson Agnello lança livro no Mauá Plaza Shopping

No próximo sábado (24/02), das 15h as 20h, no Mauá Plaza Shopping, ocorre tarde de autógrafos com o arquiteto, urbanista e jornalista, Edson Agnello, em lançamento do seu livro “2013 o ano que não terminou: 10 anos depois é preciso encontrar um caminho”. Ao RDtv, o autor comenta o que o motivou para escrever o título que trata sobre as transformações da sociedade em virtude dos acontecimentos políticos e sociais que ocorreram desde 2013 até os dias atuais. 

(Foto: Reprodução/RDtv)

2013 ficou marcado na história do Brasil por ser ponto de partida para diversas mudanças políticas e sociais, incluindo eventos como o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff em 2014, pose de Michel Temer, greve de caminhoneiros, dentre outros.

Newsletter RD

Segundo Agnello, o livro visa não só trazer histórico da última década, mas voltar com o debate sobre a política do País. “A realidade é que não ocorre discussão sobre os eventos que aconteceram de 2013 para hoje. Tudo que aconteceu impacta a nossa sociedade”, diz.

O jornalista explica como a população de hoje é afetada por tais acontecimentos. Como referências, ele cita Zygmunt Bauman, autor e filósofo fundador da ideia da “Modernidade Líquida”, além de obras como “Coringa”, que passam a simbolizar como a sociedade atual carece de bons ideais.

Apesar de carregar um tema nacional, Agnello destaca no livro como a política dos municípios também mudou, e comenta, ainda, sobre o desinteresse sobre o assunto por parte da população. “Desde 2013, o numero de filiados dos partidos vem despencando, o que complica o debate para novas ideias para novas soluções”, diz. Na região, ele menciona o Consórcio ABC como uma medida que deveria unir os gestores públicos em prol das cidades, mas que, “por puro egoísmo, alguns prefeitos estão se recusando a participar de atividades do órgão municipal, levando a massa da população ao sofrimento desnecessário”.

Em pleno ano de eleições municipais, algumas pautas surgem em debate entre a população para depositar o voto quando chegar na urna. “A população espera por uma resposta positiva, mas que venha de encontro com os seus próprios anseios. Nenhuma pesquisa será possível de determinar qual é realmente a necessidade dos moradores, mas sempre surgem questões que chamam a atenção”, explica Agnello, sendo transporte público um dos assuntos a serem discutidos pelos gestores públicos.

Receba notícias do ABC diariamente em seu telefone.
Envie a mensagem “receber” via WhatsApp para o número 11 99927-5496.

Compartilhar nas redes