Faculdade Anhanguera se credencia para curso de Odontologia

A Faculdade Anhanguera com unidades de ensino em São Bernardo e Santo André protocolou solicitação de autorização junto ao MEC (Ministério da Educação) para disponibilizar na grade curso de Odontologia. A proposta será avaliada pela instituição federal, que fará análise do pedido e realizará visita técnica para verificação das instalações no campus da avenida Dr. Rudge Ramos, em São Bernardo e da avenida Industrial, em Santo André.

“Eles virão fazer a visita para verificar a estrutura que montamos como laboratórios e biblioteca. E após a visita eles tem prazo para aprovação e publicação no Diário Oficial da União”, afirmou Samir Martins Maluf, superintendente regional da Anhanguera no Grande São Paulo, em entrevista ao RDtv.  A expectativa para início do novo curso, porém, é no segundo semestre de 2018, até que todo trâmite burocrático seja finalizado.

A instituição mantém 158 cursos entre graduação e pós-graduação na região em diferentes áreas e está com novidades de ampliação da grade para início de 2018. As pessoas que prestarão vestibular em 21/10, contam também com opções para Estética e Engenharia da Computação. A inclusão dos novos cursos se deu após análise de demanda, conforme vocação das regiões de atuação da faculdade.

O ABC é visto com bons olhos pela Anhanguera, que desde 2014 passou a ser controlada pela Kroton Educacional. Dentro do processo houve aquisição de quatro unidades, sendo duas em São Bernardo e outras duas em Santo André, uma delas com dois Campi.

Atualmente são quase 32 mil alunos em todas as unidades, número que representa 1/3 da quantidade de alunos de toda a Região Metropolitana. O campo de atuação é bem completo e abrange as áreas de saúde, exatas, tecnologia, licenciaturas e ciências sociais aplicadas.

“A gente entende que é uma economia muito pujante e não poderíamos deixar de fazer investimento aqui no ABC”, aponta Maluf (foto) ao destacar que entre os cursos que permanecem com demanda alta consta direito, alguns na área de saúde, medicina veterinária, engenharia civil, administração e gastronomia.

Em relação a oportunidade de cursos nas modalidades presenciais e EAD o superintendente explica que via de regra são públicos distintos, já que no segundo caso se exige do aluno mais disciplina para acompanhamento. Apesar disso, ressalta que o EAD vem crescendo no Brasil, principalmente em polos e regiões onde não são disponibilizados o presencial. “Aqui no ABC o presencial é maior, mas a gente tem cada vez mais representatividade no EAD”, diz.

Além disso, a faculdade também conta com o Canal Conecta, voltado a empregabilidade de alunos que estudam na instituição. O sistema reúne todas as informações que o mercado necessita e serve de subsídio para alimentar o modelo acadêmico da instituição.

“As empresas cadastram as vagas na plataforma e o aluno insere o currículo, depois é feito o cruzamento. Ela reúne tudo que o mercado espera em termos de habilidades e competências”, explica.

Comentários