ABC pede ao Estado construção de oito piscinões

Demandas foram apresentadas pelo Consórcio nesta semana, em audiência pública sobre o Orçamento estadual

As prefeituras da região atualizaram nesta semana a lista de demandas que foi apresentada ao governo do Estado no ano passado. Foram inseridos novos pedidos, com o objetivo de reservar verbas estaduais para o ABC no Orçamento de 2015.

A lista elaborada em 2013 tinha 51 itens, em diversas áreas. Agora a relação de pedidos chega a 63.

Alguns dos destaques desta nova relação são as demandas de combate às enchentes. No documento elaborado pelo Consórcio Intermunicipal há o pedido para construção de oito novos piscinões na região, sete deles em São Bernardo.

Entre os novos reservatórios reivindicados estão o Pindorama, o do Ribeirão dos Meninos (no estacionamento do Wal-Mart), do Ribeirão dos Couros, do Córrego Curral Grande (um sob a rodovia dos Imigrantes e outro na fábrica da Dana), do Córrego Jurubatuba e também o Jaboticabal, que é o mais caro de todos – custará R$ 89 milhões.

No caso do Jaboticabal, o valor não leva em conta o preço da desapropriação, que é justamente o principal entrave para que o reservatório saia do papel. A prefeitura de São Paulo diz que não tem dinheiro para desapropriar o terreno.

O Consórcio incluiu também o pedido para a construção do piscinão Miranda Daviz, em Mauá, ao custo de R$ 20 milhões.

O ABC conta hoje com 19 piscinões.

Promessa é dívida
A maioria das demandas apresentadas nesta nova relação elaborada pelo Consórcio já estava presente na lista do ano passado, quando a soma das verbas previstas chegou a R$ 7,4 bilhões.

O governo do Estado chegou a prometer atender alguns dos itens, mas não cumpriu o compromisso na maior parte dos casos.

Um exemplo é a modernização das estações da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) da linha 10-turquesa, que até agora não começou.

O aumento do efetivo das polícias militar e civil também não virou realidade. A promessa da chegada de 460 policiais militares e 200 civis, feita em julho do ano passado pelo secretário de Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, não se concretizou.

Entre as poucas promessas cumpridas estão o repasse de verbas para a finalização do Hospital de Clínicas de São Bernardo e o pagamento de auxílio-aluguel para moradores de áreas de risco.

Mobilidade
Algumas das principais demandas pedidas no ano passado e reiteradas neste ano dizem respeito a mobilidade urbana.

As prefeituras pedem a duplicação de trechos da rodovia Índio Tibiriçá, da Estrada Velha do Mar e da Rodovia Adib Chamas (SP 122), além da ampliação do viaduto sobre o km 18 da Anchieta e construção de ponte estaiada na mesma rodovia, ligando o prolongamento da avenida Lauro Gomes até a avenida do Taboão.

O Consórcio incluiu nesse ano pedido para que o Estado viabilize a ampliação da linha 17-ouro até Diadema. O trecho que está em construção, em sistema monotrilho, vai ligar o Jabaquara ao Morumbi, passando pelo aeroporto de Congonhas.

A entidade reiterou a demanda para incluir no projeto de construção da linha 18-bronze uma bifurcação até a futura estação Pirelli, em Santo André.

Saúde
Outros compromissos feitos pelo Estado que ainda não viraram realidade estão na área da Saúde: Implantação de duas unidades da rede de reabilitação Lucy Montoro e instalação de um Centro de Referência do Idoso em Santo André.

Por isso, estes itens seguiram na pauta de reivindicações deste ano.

Entre os novos pedidos estão a reforma e revitalização do Hospital Serraria e recursos para construção do Hospital da Mulher de São Bernardo.

Comentários