China supera Alemanha e se torna maior importadora de energia da Rússia

A China superou a Alemanha como o maior comprador das exportações da Rússia no setor de energia desde o início da guerra na Ucrânia, afirmou nesta segunda-feira, 13/6, o Centro para Pesquisa de Energia e Limpeza do Ar, entidade independente. Segundo ele, a Rússia recebeu cerca de 93 bilhões de euros (US$ 97 bilhões) em receita pela venda de petróleo, gás natural e carvão desde 24 de fevereiro, quando invadiu a Ucrânia.

Cerca de 61% do valor desses combustíveis fósseis, ou 57 bilhões de euros, foram exportados para a União Europeia durante os primeiros 100 dias do conflito, segundo o grupo sediado em Helsinque. Isso incluiu 12,1 bilhões de euros em exportações para a Alemanha, 7,8 bilhões de euros para Itália, este mesmo valor para a Holanda, e 4,4 bilhões de euros para a Polônia, segundo o grupo.

A Alemanha, que era o maior importador de combustíveis fósseis da Rússia durante os dois primeiros meses da guerra, passou ao segundo lugar, com a China assumindo a liderança ao comprar cerca de 12,6 bilhões de euros em energia de Moscou.

A mudança reflete a crescente importância da China e de outras economias de fora da União Europeia para as exportações da Rússia em energia, que garantem cerca de 40% do orçamento federal russo, aponta o centro.

Receba diariamente o RD em seu Whatsapp
Envie um WhatsApp para 11 99237-9717 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários