Funcionários do Hospital Christóvão da Gama questionam más condições de trabalho

Técnicos precisam utilizar latas de lixo como assento (Foto: Arquivo Pessoal)

Técnicos de enfermagem do Hospital Christovão da Gama, em Santo André, alegam que desde dezembro do ano passado, os técnicos do setor da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) enfrentam péssimas condições de trabalho, uma vez que são forçados a ficar mais de 10h em pé nos plantões da madrugada.

Uma das técnicas, que prefere não ser identificada, conta que o transtorno passou a ocorrer após a implementação de beira-leitos – instrumento computadorizado para controle dos pacientes – não ergométricos e que não possuem bancos para os profissionais sentarem. “Vivemos um descaso enorme. Não podemos nos sentar durante nenhum momento do plantão, nem mesmo na área dos enfermeiros, já que precisamos supervisionar os leitos durante o tempo todo”, diz.

Fios dos computadores ficam expostos pelos corredores (Foto: Arquivo Pessoal)

Como alternativa, a profissional explica que os técnicos utilizam latas de lixo como assento. “Forramos os latões de lixo com toalhas para sentarmos, o que é extremamente perigoso pois o lixo hospitalar é infectante”, afirma. Além da falta de assento, a funcionária diz que os aparelhos dos beira-leitos são ligados por uma única extensão, e que os fios ficam expostos pelos corredores do hospital. “Além de oferecer risco para os funcionários também oferece para aos pacientes”, completa.

Na tentativa de solucionar o problema, a funcionária diz já ter reclamado inúmeras vezes com a direção do hospital, que, segundo ela, diz não poder fazer nada a respeito. A profissional recorreu também ao Sindicato de Saúde do ABC, que alegou precisar de uma ação judicial para interferirem no caso.

Questionado, o Hospital Christóvão da Gama informou que o plano diretor contempla melhorias e modernização da UTI do HMCG, que inclui um ambiente mais acolhedor para os colaboradores e dentro das normas previstas pela segurança do trabalho.

Também procurado pela equipe do RD, o SindSaúde ABC informa, por meio de nota, que visitou o Hospital Christóvão da Gama em dezembro do ano passado e fez recomendações ao hospital, “que se comprometeu a resolver os pontos levantados com brevidade, o que vem ocorrendo”. O sindicato cita a compra de cadeiras, com disponibilidade para os técnicos de enfermagem.

O SindSaúde ABC também informa que não constatou na visita o uso de latas de lixo como assento. “Também ficou claro, durante a mesma visita, que os funcionários não são proibidos de sentar durante o plantão”, acrescenta. Além disso, o sindicato rechaça a informação de que teria alegado precisar de ação judicial para interferir no caso.

Receba diariamente o RD em seu WhatsApp
Envie um WhatsApp para 11 94984-9581 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários