Assessores do governo da Alemanha cortam projeção de crescimento pela metade

Um grupo dos principais assessores do governo da Alemanha cortou hoje sua projeção de crescimento do país neste ano pela metade, mas descartou a possibilidade de recessão graças à robusta demanda doméstica.

“O período de forte expansão da economia alemã está encerrado, por enquanto”, comentou Christoph Schmidt, presidente do Conselho Alemão de Especialistas Econômicos.

O grupo reduziu sua previsão de avanço do Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha em 2019 de 1,6% para 0,8%, considerando-se efeitos de calendário.

Em 2020, a projeção de crescimento da maior economia da Europa é de 1,3%.

“Os riscos para o crescimento econômico futuro são atualmente muito altos”, avaliou a entidade, citando as caóticas negociações do Brexit – como é conhecido o processo para que o Reino Unido se retire da União Europeia -, disputas comerciais globais e preocupações com a saúde da economia chinesa.

O conselho também criticou o Banco Central Europeu (BCE) por não ter iniciado a retirada de medidas de estímulos extraordinárias numa fase anterior do ciclo econômico.

“Nos últimos dois anos, o BCE poderia ter reagido ao crescimento econômico maior…com um aperto cauteloso da política monetária, sem comprometer a recuperação”, disseram os especialistas, com o argumento de que a iniciativa daria ao BCE mais espaço em momentos turbulentos.

Há quase duas semanas, o BCE anunciou uma série de novas medidas de estímulo numa tentativa de impulsionar a inflação, que continua persistentemente baixa, menos de três meses depois de encerrar um grande programa anterior de incentivos. Fonte: Dow Jones Newswires.

Receba diariamente o RD em seu Whatsapp
Envie um WhatsApp para 11 94984-9581 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários