MME nomeia secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético

O Ministério de Minas e Energia (MME) formalizou no Diário Oficial da União (DOU) a nomeação de Reive Barros dos Santos para o cargo de secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético da pasta. Conforme o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) informou, Reive Barros, que presidia a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), se reuniu com o ministro Bento Albuquerque na quarta-feira da semana passada, quando foi feito o convite para o novo posto. “Tive uma reunião com o ministro agora à tarde e aceitei”, disse ele ao Broadcast na ocasião.

Antes de assumir a EPE, que é sediada no Rio de Janeiro, Reive Barros foi diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A estrutura da EPE vai permanecer separada do MME. Ainda não há definição sobre o nome do novo presidente da empresa.

À frente da secretaria, Barros disse que suas prioridades serão a ampliação da abertura do mercado livre de energia, a separação entre lastro e energia e a segurança energética. “Temos que definir claramente a política energética do País. Ela foi concebida há um certo tempo e houve uma evolução muito grande”, afirmou.

Uma das preocupações, segundo ele, é a expansão do parque gerador de energia, diante da retomada do crescimento econômico do País. Ele destacou que as distribuidoras têm declarado uma demanda pequena, insuficiente em um cenário em que o País volte a crescer. Por isso, é necessário separar lastro e energia, já que a expansão do sistema é financiada unicamente pelas distribuidoras, que atendem ao consumidor final.

“Antes, não tínhamos uma grande migração para o mercado livre, autoprodução e geração distribuída. Então, essa questão tem que ser resolvida”, disse ele. “Esse é um problema sério, sobre o qual vou me debruçar agora no Ministério de Minas e Energia.”

Outros temas que serão prioridade, segundo Barros, é a estabilidade econômico-financeira das distribuidoras, a redução da judicialização no setor elétrico, os leilões de potência devido à intermitência das fontes renováveis e uma maior previsibilidade dos leilões.

Também está entre as preocupações do novo secretário o abastecimento no Estado de Roraima, que hoje depende da energia da Venezuela. A ideia é viabilizar a retomada da linha de transmissão Manaus – Boa Vista e leilões de suprimento de energia local.

Receba diariamente o RD em seu WhatsApp
Envie um WhatsApp para 11 94984-9581 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários