Justiça americana manda Casa Branca devolver credencial de jornalista da CNN

Um juiz federal do distrito de Colúmbia determinou nesta sexta-feira, 16, que o governo do presidente Donald Trump devolva imediatamente a credencial do correspondente da CNN na Casa Branca, Jim Acosta (foto). A credencial foi suspensa na semana passada depois de o jornalista contestar Trump numa entrevista coletiva.

O juiz Timothy Kelly, indicado ao cargo pelo próprio Trump, acatou um pedido da CNN, que nesta semana entrou com um processo contra o presidente dos Estados Unidos e outros cinco membros do governo.

Acosta era frequentemente criticado por Trump e pela porta-voz Sarah Sanders por suas perguntas consideradas “duras” em entrevistas. O presidente critica a CNN desde que assumiu o cargo e a acusa, sem provas, de difundir notícias falsas.

O processo é considerado uma escalada no ambiente de tensão entre Trump e os veículos de comunicação nos EUA, que inclui discursos do presidente contra o que considera “notícias falsas” quando está em desacordo com o que foi publicado e críticas a jornalistas.

À Justiça, a CNN argumentou que a decisão de suspender a credencial de Acosta viola a 1ª Emenda à Constituição americana, que assegura a liberdade de imprensa. A rede de TV argumentou ainda que os funcionários do gabinete de Trump e o presidente violaram também a 5ª Emenda, que assegura o devido processo legal – por retirarem a credencial sem aviso prévio. Fonte: Associated Press.

Comentários