Sindserv pede troca de marmitas por vale-refeição em Santo André

A alimentação dos servidores de Santo André continua como uma das principais reclamações da categoria. Em entrevista ao RDtv, nesta terça-feira (26), os representantes da nova diretoria do Sindserv (Sindicato dos Servidores Públicos), Durval Ludovico e Rodrigo Gomes, falaram sobre as reivindicações dos funcionários públicos, entre elas o reajuste salarial e mudanças em estatutos municipais.

A principal reclamação ainda gira em torno das marmitas que são distribuídas para os funcionários que não conseguem pronto acesso aos restaurantes que são gerenciados pelo Craisa (Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André). “Ainda temos muitas reclamações de que a comida chega fria, pois ela é feita de manhã e quando o pessoal pega a marmita a noite, está fria. Além de outras reclamações”, disse Ludovico.

“Piorou a qualidade de entrega, até por isso estamos pedindo que seja dado o vale-refeição ao invés desta marmita. Assim, inclusive, o dinheiro ficaria em Santo André ao invés de ir para outra cidade. Nada contra as outras cidades, mas podemos ajudar mais o município em consequência disso”, falou Gomes. Segundo os diretores, cada servidor tem R$ 2 descontados para a alimentação e a Prefeitura andreense gasta outros R$ 14 por funcionário. Atualmente são cerca de 12 mil colaboradores ativos da Prefeitura.

Desde 17 de março, a empresa Apetece é a responsável pelas marmitas, substituindo a Provac, que interrompeu a produção da alimentação dos servidores. Desde então uma série de reclamações apareceram, entre elas, a de que alguns funcionários receberam alimentos com larvas. As imagens foram divulgadas pelos funcionários públicos através das redes sociais.

Campanha Salarial

Nova diretoria assumiu nesta terça (26) (Foto: Giullia Micali)

Com a nova diretoria do Sindserv, uma das intenções é retomar as negociações em torno do reajuste salarial. A categoria pede 15,57%, sendo que 4,57% referentes a inflação e o restante que representa perdas elencadas pela categoria. Gomes e Ludovico negaram que a Prefeitura de Santo André tenha feito qualquer tipo de proposta, mas demonstraram preocupação com a possibilidade de não ter qualquer tipo de reajuste.

“Há três gestões que temos reajuste em todos os anos, pelo menos a inflação. Então vamos defender isso junto ao Executivo. Como assumimos a diretoria hoje (terça, 26), ainda não conseguimos falar com o prefeito (Paulo Serra, PSDB), mas vamos lutar para isso”, disse Rodrigo Gomes. Algo que já foi efetivado é o pagamento adiantado da primeira parcela do 13º salário, o que ocorreu em junho. A medida não foi adotada em 2016, no final da gestão do então prefeito Carlos Grana (PT).

Comentários