Seleção olímpica e Dunga são vaiados em amistoso no Rio de Janeiro

Quatro dias depois de ouvir no Mineirão, em Belo Horizonte, a torcida pedir em peso sua saída da seleção brasileira, o técnico Dunga passou neste domingo por novo desgaste, durante amistoso entre a seleção olímpica e um combinado carioca, em Volta Redonda. A vitória da equipe que disputará os Jogos de Pequim, em agosto (1 a 0, gol de Alexandre Pato), não foi suficiente para deixar a platéia satisfeita.

No início, os focos de insatisfação eram localizados. Mas a partir da metade do segundo tempo, o coro de “adeus Dunga!” ecoou por todo o estádio como um grito de desabafo que se espalha pelo País. Os pouco mais de 11 mil torcedores que estiveram no Raulino de Oliveira assistiram a um péssimo jogo e vários deles levaram para as arquibancadas faixas e cartazes com pedidos para que Dunga deixe a seleção. “Em nenhum momento eu pensei em pedir demissão”, disse Dunga, após o amistoso.

Ele mais uma vez tirou da cartola várias desculpas para justificar o baixo rendimento de seu time. “Setenta por cento dos meus jogadores estão de férias há 20 dias e isso não se passa para a torcida. Também só tivemos tempo de fazer um treino”.

Dunga já pressentira como seria sua relação com os torcedores em Volta Redonda – a maioria era adolescente – logo que o sistema de som do estádio anunciou o time, com aplausos intensos para Robinho, Diego e Alexandre Pato, e, em seguida, seu nome: ele foi vaiado por quase 30 segundos.

Na entrevista coletiva, tentou manter o controle e citou ex-treinadores da seleção para se defender. “Eu pergunto: será que o Parreira estava errado? O Zagallo estava errado? O Felipão estava errado? Ou aqueles que escrevem, falam e vaiam é que estavam certos?”

Segundo Dunga, os três receberam as mesmas críticas de que ele é vitima agora. Na verdade, cometeu um exagero. Nunca houve nenhuma manifestação espontânea tão contundente pela demissão de um dos três técnicos citados por Dunga, nos períodos em que dirigiram a seleção.

Na entrevista, Dunga chegou a hesitar na hora em que um repórter quis saber como se deu a chamada de Ronaldinho Gaúcho para a lista dos que vão a Pequim. “Dunga, o Ronaldinho Gaúcho está convocado para a Olimpíada? Se está, quem convocou?” O treinador se mostrou confuso na resposta. “Quem convocou foi a CB…, a seleção, a CBF”. E ele se referiu ao presidente da entidade, Ricardo Teixeira, como “presidente da seleção”.

Dunga agora vai esperar a Fifa determinar qual a data-limite para a apresentação da relação definitiva dos 18 atletas que vão a Pequim. Pretende fazer um novo amistoso, mas isso dependerá de acertos com a CBF. O menos difícil deve ser reunir um amontoado de atletas de algum Estado para fazer um amistoso como o deste domingo.

Sobre as vaias a Robinho e Alexandre Pato, saudados apenas no início, o técnico disse ter certeza de que isso será passageiro. “Eles vão desequilibrar, são jogadores excepcionais. Na seleção, tem que trabalhar assim, com pressão”.

Ficha técnica

Brasil 1 x 0 Rio de Janeiro

Brasil – Diego Alves (Renan); Rafinha (Nei), Breno (Leo), Alex Silva e Leonardo (Filipe); Lucas (Charles), Hernanes, Ramires (Pedro Oldoni) e Diego (Fernandinho); Alexandre Pato e Robinho (Rafael Sobis). Técnico: Dunga.

Rio de Janeiro – Cássio (Marcelo Lomba); Marcos Vinícius (Edson), André Luís, Rodrigo Arroz (André) e Egídio; Roberto Lopes, Diguinho (Vinícius Pacheco), Adriano Felício (Bruno) e Abedi (Jones); Paulo Sérgio (Ernani) e André Lima. Técnico: Técnico: Alfredo Sampaio.

Gol – Alexandre Pato, aos sete minutos do primeiro tempo.

Cartões amarelos – Rafael Sobis (Brasil); André Luis (Rio de Jsneiro).

Cartão vermelho – Marcelo Lomba (Rio de Janeiro).

Árbitro – Marcelo Henrique de Lima (Fifa-RJ).

Renda – Não disponível.

Público – 8.112 pagantes (11.505 no total).

Local – Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ).

Comentários