Marinho pedirá a Dilma continuidade da Kombi

Marinho quer pedir a Dilma que trate a Kombi como exceção e flexibilize os itens de série como forma de garantir a produção por mais dois ou três anos.

O prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho, revelou nesta terça (22) que vai procurar a presidente Dilma Rousseff para dialogar sobre a possibilidade de manter a produção da Kombi, um dos produtos em linha na fábrica da Volkswagen instalada na cidade.

Com as exigências de segurança estipuladas por lei para entrarem em vigor em 2014 – como o airbag duplo frontal e freios ABS como itens de série -, o veículo não teria mais condições de ser fabricado pelo alto custo.

Marinho quer pedir a Dilma que trate a Kombi como exceção e flexibilize os itens de série como forma de garantir a produção por mais dois ou três anos. ” Dessa forma manteremos quatro mil empregos, sendo mil diretos na fábrica e três mil indiretos”, defende.

O prefeito já conversou sobre o assunto com o ministro do Desenvolvimento da Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel. A Volkswagen preferiu não comentar a declaração do prefeito. O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) informou que a manutenção da produção da Kombi não depende apenas dele, mas que outros órgãos envolvidos na determinação de itens de segurança obrigatórios. 

Receba diariamente o RD em seu WhatsApp
Envie um WhatsApp para 11 94984-9581 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários