Acampamento é opção para as férias em julho

os estudantes que frequentam bons acampamento voltam para casa com espírito aguçado de cidadania e respeito ao próximo.

Com o término do semestre letivo, muitos estudantes não ainda têm definido onde passar as férias. Os acampamentos culturais e recreativos constituem um bom caminho para os pais que não abrem mão da qualidade e segurança. No Estado, há diversas empresas no ramo, que oferecem pacotes pra julho, principal data para o setor. Segundo a Associação Brasileira de Acampamentos Educativos, a ABAE, é um serviço impagável para quem trabalha ou investe no setor.

“Não tem dinheiro que pague cuidar do principal bem do ser humano, que são os filhos”, analisa Marilia Rabello, presidente da ABAE, com 18 associados no País. De acordo com a executiva, em razão da complexidade que é manter um acampamento, o segmento não tem crescido. “Quem tem dinheiro é mais fácil abrir um hotel”, acredita Marília, herdeira e gerente do Grupo Peraltas, responsável pelo Acampamento Peraltas, em Brotas, a 246 km da capital paulista.

Para Marília, os estudantes que frequentam bons acampamento voltam para casa com espírito aguçado de cidadania e respeito ao próximo. “É um grande investimento para os pais que buscam diversão para os filhos com segurança e estrutura”, garante. Com 38 anos de mercado, o Peraltas já recebeu mais de 70 mil estudantes, na faixa de quatro a 16 anos. Para julho, os pacotes vão de R$ 960 para quatro dias até R$ 5,5 mil para 23 dias, com tudo incluso, inclusive roupa de cama, um dos diferenciais da empresa.

Atividades

Na estrutura, o Peraltas oferece atividades como arvorismo, tirolesas, parque aquático com 5 piscinas e 3 toboaguas, futebol de sabão, cama elástica, fazenda com pequenos animais, paredão de escalada, touro mecânico, festas temáticas com baladas e oficinas de rádio, artes, culinária e customização de bolsas e camisetas. Além disso, os pais podem observar os filhos durante o almoço por webcam em tempo real e em fotos publicadas no site www.peraltas.com.br e no facebook.com/acampamentoperaltas.

A 49 km também da Capital, no município de Embu-Guaçu, o Aruanã oferece esportes de aventura, como parede de escalada, rapel e tirolesa, piscinas e tobogãs, salão de jogos, playground, cama elástica e casinha de boneca. O pacote de sete dias sai por R$ 1,6 mil, com tudo incluso. “É um bom negócio para os pais, porque os filhos ganham na autonomia e socialização”, afirma Fábio dos Santos Gaudio, sócio-proprietário, do Aruanã.

No mercado desde 1999, o acampamento espera receber entre 120 a 180 estudantes em julho, contra 144 no mesmo período do ano passado. “Julho é a melhor época para o nosso setor, por isso, estamos prontos e a nossa expectativa é boa”, comenta Gaudio, que nasceu neste mercado. O site da empresa é www.aruana.com.br 

Inglês

Se a ideia é aproveitar as férias sem perder o contato com a língua inglesa, o English Camp, situado em Itapetininga, a 150 km da Capital, é um endereço. Embora os estudantes não sejam obrigados a falar inglês, toda comunicação visual e as atividades do local são em inglês. “Indiretamente, eles treinam a língua enquanto se divertem”, diz Silvia Goulart Urioste, responsável pelo Atendimento ao Cliente. Entre as atividades, o acampamento oferece, para a faixa de cinco a 16 anos, esportes típicos dos EUA, como beisebol, lacrosse e hóquei, além de vôlei, futebol, basquete e queimada.

Silvia conta que todos os monitores tiveram vivência fora para dominar o idioma. Com capacidade para 120 estudantes por temporada, a empresa espera atrair somente 40 em julho. “A inflação está deixando os pais preocupados”, acredita. O English Camp está com duas temporadas em julho, que custam R$ 1,5 mil por pessoa, com tudo incluso.

Interessados podem acessar o www.englishcamp.com.br  

Comentários