Festival de Vídeo Internacional começa em São Bernardo

Tchaka em Transe retrata o universo da Drag Queen paulistana e o homem atrás do personagem / Divulgação

A final da quinta edição do U. FRAME (Festival Internacional de Vídeo Universitário) começou nesta quinta-feira (25/10) com a apresentação das produções dos alunos, debates, palestras e workshops. É a primeira vez que o evento acontece no Brasil e teve 126 vídeos inscritos, de oito países. A partir de quinta, serão julgados os 25 finalistas das cinco categorias. As inscrições para o evento são gratuitas e a cerimônia de premiação oficial acontece no sábado (27) a partir das 21h, no Auditório Sigma da Universidade Metodista.

Para o curador do evento, Marcelo Melo, professor de audiovisual e coordenador do curso de Rádio, TV e Internet da Universidade Metodista de São Paulo, o festival é uma oportunidade de o audiovisual participar da atividade cultural da região. “Serão exibidas produções que não vão para a televisão e são encontradas com dificuldade da internet. Além disso, os filmes são exibidos como foram concebidos, ou seja, para a tela grande”, analisa Melo.

Programação
Na quinta-feira (25) o evento tem início às 14h com a palestra Narrativas Transmídias com o Prof. Dr. Valdecir Becker. Às 16h haverá a palestra Pós –Produção para Cinema e Vídeo Digital com o Prof. José Augusto De Blasiis. Ambas serão no Auditório Sigma. No mesmo dia, em outro auditório, o Iota, das 14 às 18h acontece a mostra O Melhor da Produção Universitária Brasileira e das 18 ás 19h, a mostra Mobile.

Na sexta-feira (26), no horário das 14h às 16h há um debate com participantes da Espanha, Portugal e Brasil sobre Produção Audiovisual Multiplataforma e das 16h às 18h, outro debate, agora sobre Fotografia para Cinema e Vídeo Digital com fotógrafos profissionais.

No dia 27 de outubro, sábado, das 15h às 18h haverá o debate A Produção nos Cursos de Audiovisual na Era da Transição Digital, com representantes das universidades USP, FAAP, Metodista e do Senac. Nesse mesmo dia, das 19h às 21h haverá a mostra O Melhor do U.FRAME com a exibição dos melhores trabalhos internacionais das edições anteriores do Festival. A premiação para o vencedor de cada categoria é 500 euros e para o vencedor do festival, de dois mil euros.

Brasil lidera categorias Documentário e Dispositivos Móveis

As universidades brasileiras são favoritas nas categorias de documentários e de dispositivos móveis. O documentário Barbara em Cena, dos alunos da PUC-Rio, aborda a profunda relação da crítica de teatro Barbara Heliodora com os palcos, e traz depoimentos das atrizes Fernanda Montenegro e Marília Pêra entre outros. Já Tchaka em Transe, produzido pelos alunos do Senac São Paulo, retrata o universo da Drag Queen paulistana Tchaka e o homem atrás do personagem: Valder Bastos. “A grande participação do documentário vem da força dos cursos de jornalismo no Brasil”, explica Melo sobre a grande participação do Brasil com documentários.

Os brasileiros também dominam a final da categoria Dispositivos Móveis, e quatro dos cinco finalistas são da Universidade Metodista. Entre os destaques, o vídeo VRAS conta a história do diretor de videoclipes de rap Valmir Puertas Rodrigues, conhecido como VRAS 77, que hoje edita cerca de 30 videoclipes por ano e aprendeu tudo sozinho. Na bagagem, artistas como Ao Cubo, Shekinah Rap e RAPadura.

Na categoria Animação, não há nenhum finalista brasileiro e Alemanha e Bélgica polarizam a disputa. O destaque é Zing, animação que conta a história de um ceifador que escolhe uma garotinha para morrer, mas ela bate a sua porta. Já em Vie de Rêve em Promotion, os personagens são compostos de roupas reais e animações das partes do corpo. Uma mistura surreal aliada ao cenário animado.

Já na categoria experimental, os finalistas exploram efeitos visuais, imagens de jogos de videogame e alegorias e questionamento existenciais.

Outros trailers de alguns finalistas estão disponíveis no Youtube. É uma pequena amostra do que vem por aí a partir de quinta-feira. Clique e assista:

Ficção: O OLLÁPARO, dos Estados Unidos – University of Utah.

Documentário: BARBARA EM CENA, de Ellen Ferreira – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

TCHAKA EM TRANSE, de Livia Marques – Centro Universitário Senac.

RESPOSTA, de Victor Hugo Fiuza Barbosa – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

Dispositivos móveis: A JORNADA DE BLATTER, de Roberto Vagner Pereira de Almeida – Universidade Metodista de São Paulo.

TRANSIÇÕES, de Karina Fonseca Zambelli – Universidade Metodista de São Paulo.

VRAS, de Renan Dias Pagliarusi – Universidade Metodista de São Paulo.

HISTÓRIA DO VIDEOCLIPE, de Fernando Mamoru – Universidade Metodista de São Paulo.

Animação: ZING, da Alemanha – Filmakademie Baden-Wuerttemberg.

VIE DE RÊVE EM PROMOTION, da Bélgica – Institut des Arts de Diffusion.

Experimental: TAPE LOADING ERROR, de Portugal – Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto.

DANÇA DANÇA FOGO DANÇA, de Portugal – Universidade do Porto.

REPLACEMENT, dos Estados Unidos – University of Iowa.

CAOS, de Tico Dias – Fundação Armando Álvares Penteado.

DA ORIGEM, de Fábio Baldo – Fundação Armando Álvares Penteado.

Comentários