Gordinha sim, mas com saúde, defende blogueira com 223 mil fãs

Um grande exemplo do incentivo à participação dos leitores é o espaço para relatar um episódio de preconceito, uma espécie de “Boca no trombone”.

Com mais de 223 mil pessoas curtindo, a página “Sou Gordinha Sim”, já virou sucesso de compartilhamentos na internet. Modelo plus size há quatro anos, Helena Custódio, dona do blog no Facebook, visitou o estúdio do RDtv para contar como alcançou este patamar no mundo virtual.

Criada em dezembro de 2011, a página do Facebook foi transformada automaticamente em blog pessoal, após atingir 100 mil “curtidas”, mas manteve praticamente os mesmos recursos. A página conquista cerca de 45 fãs por hora e é focada principalmente em mensagens de autoestima e dicas de moda para mulheres plus size.

“Sou uma gordinha assumida e já sofri muitos preconceitos, mas cansei de brigar com a balança então assumi o meu biotipo”, explica Helena. No entanto, a modelo deixa claro que o blog não é uma apologia à obesidade. Grande parte das mensagens gira em torno da ideia “Sou gordinha sim, mas com saúde”.

A principal audiência do blog é observada no compartilhamento de imagens acompanhadas de frases. Em uma hora, uma imagem chega a ter quase mil compartilhamentos. Outro dado interessante é que o número de pessoas falando sobre os posts do blog é maior do que o número de fãs em mais de 5 mil, ou seja, pessoas que não curtiram a página comentam e conhecem o SOU Gordinha SIM. Helena, que também tem um blog fora do Facebook, percebe como principal diferença entre as duas mídias a rapidez do crescimento que a página na rede social atinge.

Boca no trombone
A interatividade é parte importante do sucesso do blog. Cerca de 60% do público é feminino, que comenta e até publica na página. “Há muitas criticas também, mas fica tudo visível, eu não controlo nenhum comentário”, explica Helena e ainda revela que as maiores dúvidas das leitoras são relativas à dificuldade para encontrar roupas de tamanho grande, cortes de cabelo, maquiagem e calçados que ficam bem em gordinhas. “Há leitoras que mandam fotos de roupas que elas compraram e perguntam se eu aprovo”, conta a modelo que por trabalhar no mundo da moda passa dicas valiosas.

Um grande exemplo do incentivo à participação dos leitores é o espaço para relatar um episódio de preconceito, uma espécie de “Boca no trombone”. A autora do blog montou um álbum no qual coloca a foto e o relato do gordinho que se sentiu magoado por atos que o ofenderam. Por ideias como esta, Helena conhece bem o público com o qual lida. “O que mais me impressiona é a quantidade de agradecimentos. As pessoas se sentem melhor com as mensagens do blog. Era o que estava faltando para este público”, finaliza a modelo. 

Receba diariamente o RD em seu Whatsapp
Envie um WhatsApp para 11 99237-9717 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários