ABC - quarta-feira , 29 de maio de 2024

Em evento internacional, liderança militar da China adota linha dura em disputas marítimas

Um dos mais graduados líderes das Forças Armadas da China adotou uma linha dura em relação a disputas territoriais regionais, ao dizer em um encontro naval internacional no nordeste chinês, nesta segunda-feira, que o país reagiria com a força, caso seus interesses ficassem sob ameaça. O 19º Simpósio Naval do Oeste do Pacífico, uma reunião bienal, foi aberto na cidade portuária de Qingdao, onde está sediada a força naval do norte chinês, em uma vívida mostra da massiva expansão militar do país nas últimas duas décadas.

O evento de quatro dias recebe representantes de parceiros e competidores, entre eles Austrália, Camboja, Chile, França, Índia e Estados Unidos, em meio a tensões diante das ações de Pequim no Estreito de Taiwan e nos mares do Leste e do Sul da China.

Newsletter RD

O vice-presidente da Comissão Militar Central do Partido Comunista da China, Zhang Youxia, que controla as Forças Armadas, falou de “desenvolvimento comum” e afirmou que “desacoplamento, fricção e confrontação irão apenas dividir o mundo em ilhas isoladas, olhando um ao outro com suspeição”. Mas ele também falou de reivindicações territoriais de seu país, não reconhecidas na lei internacional e em alguns casos rechaçadas. Pequim tem ignorado as decisões contrárias, em particular no Mar do Sul da China, que tem ilhas, cursos e recursos em disputas com outros cinco países. Fonte: Associated Press.

Receba notícias do ABC diariamente em seu telefone.
Envie a mensagem “receber” via WhatsApp para o número 11 99927-5496.

Compartilhar nas redes