ABC - domingo , 19 de maio de 2024

Seis nomes disputam Paço e eleitores de São Bernardo em 2024

Pré-candidatos seguem na busca de apoios de partidos e lideres politicos na cidade para fortalecer seus nomes antes do início das convenções (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Após oito anos com Orlando Morando (PSDB) no comando da Prefeitura de São Bernardo, o município passará por uma mudança a partir de 2025. Seis nomes se colocaram como pré-candidatos para as eleições de outubro. Além da disputa pela sucessão, os pré-candidatos também competem pela divisão dos votos oriundos tanto da política municipal quanto da polarização nacional.

Alguns dos nomes já estavam nas urnas em 2020 ou mesmo em outras eleições, outros vão para a disputa eleitoral pela primeira vez. A janela eleitoral ajudou a definir ainda mais os apoios, ao antecipar debates e divisões internas. Tudo em busca de apoios antecipados para convencer os 642.654 eleitores.

Newsletter RD

Alex Manente (Cidadania)

O deputado federal Alex Manente (Cidadania) volta para a disputa pelo comando do Paço após abdicar do pleito de 2020. Candidato em 2008, 2012 e 2016, o parlamentar coloca seu nome como pré-candidato dentro de uma federação de seu partido e o PSDB, o que não significa que conte com o apoio de Morando.

Aliás, Alex conta com apoio de ex-integrantes da base governista, entre eles, os ex-secretários e atuais vereadores Alex Mognon (PP) e Pery Cartola (Cidadania), e o vereador Glauco Braido (MDB), que faz parte do MBL. Ainda o ex-presidente da Câmara, Estevão Camolesi (Cidadania), e o vereador Paulo Chuchu (PL), este último cotado para ser o pré-candidato a vice, assim tentando o apoio da base bolsonarista na cidade.

Claudio Donizete (PSTU)

Candidato a prefeito em 2020, quando obteve 743 votos, Claudio Donizete (PSTU) coloca seu nome novamente como pré-candidato. Em entrevista ao RDtv, o técnico em eletrônica apontava que o seu retorno para as urnas serve para entregar “uma alternativa voltada para classe trabalhadora”.

Crítico da atual gestão e também do alinhamento feito por PT e PSOL nos últimos anos, Claudio defende uma “ruptura” com o que foi realizado na última década na cidade. Em seu caso, o PSTU não vislumbra qualquer aliança com outras legendas e quer convencer os eleitores a partir de seu conteúdo programático.

Flávia Morando (União Brasil)

Estreante em eleições, a empresária Flávia Morando (União Brasil) entrou como pré-candidata, indicada pelo prefeito Orlando Morando. Sobrinha do gestor, Flávia foi escolhida após pesquisas que apontavam que eleitores de Orlando gostariam de alguém com seu sobrenome na eleição. Com o impedimento do nome da deputada estadual Carla Morando (PSDB), Flávia foi a escolhida.

A empresária não conta com o apoio de toda a base formada por Orlando, que acabou se dividindo em outras pré-candidaturas. Apesar do cenário, a estratégia nesta pré-campanha é apresentar Flávia nos mais diversos eventos, com Orlando e Carla, e assim firmar a participação do clã na eleição.

Luiz Fernando Teixeira (PT)

O deputado estadual Luiz Fernando Teixeira (PT) teve seu nome escolhido como pré-candidato ainda no ano passado, com o apoio dos partidos que fazem parte da federação Brasil da Esperança (PT/PV/PCdoB) e outras legendas, como o PDT e o PSB, partidos que estão na base de apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Aliás, o chefe da Nação vai ser o principal garoto propaganda do parlamentar.

Outro ponto é o apoio do ex-prefeito e ex-deputado federal William Dib (PSB), cotado para ser o seu pré-candidato a vice e assim emplacar um cenário inspirado no que aconteceu em 2022 com Lula e Geraldo Alckmin, e na Capital entre Guilherme Boulos (PSOL) e Marta Suplicy (PT). Luiz Fernando crê em uma união da esquerda em torno de seu nome.

Marcelo Lima (Podemos)

Ex-vice-prefeito e ex-deputado federal, Marcelo Lima (Podemos) colocou o seu nome como pré-candidato após diversos problemas que causaram a cassação de seu mandato como parlamentar e um racha dentro da atual base governista de São Bernardo. Sem o apoio formal de Orlando Morando, Marcelo conseguiu trazer a maior parte dos vereadores para seu entorno.

Após o anúncio interno sobre o nome de Flávia Morando, 13 vereadores resolveram chamar a imprensa para declarar apoio para Marcelo Lima. Partidos como Podemos, PMB, Avante e AGIR entraram nesta coalisão. Apesar da divisão, Lima associa seu nome ao legado deixado pro Orlando Morando, o que é possível notar em suas redes sociais.

Rafael Demarchi (Novo)

Vereador por duas oportunidades e candidato a prefeito em 2020, pelo PSL, em terceiro lugar com 19,8 mil votos, Rafael Demarchi coloca seu nome novamente como pré-candidato a prefeito, desta vez pelo Partido Novo. Apesar da mudança de legenda, Rafael busca disputar os votos bolsonaristas com Alex Manente e os do governador Tarcísio Gomes de Freitas (Republicanos) com Alex e Marcelo Lima.

Demarchi crê que o seu apoio pessoal a Bolsonaro e Tarcísio, desde 2018, pode convencer eleitores. Nos últimos meses o ex-vereador intensificou reuniões com grupos bolsonaristas na cidade e não esconde ter em seu futuro plano de governo ações e propósitos baseados nos pensamentos do ex-presidente e do atual governador.

Receba notícias do ABC diariamente em seu telefone.
Envie a mensagem “receber” via WhatsApp para o número 11 99927-5496.

Compartilhar nas redes