ABC acerta criação de Fórum da Indústria Regional

A Agência de Desenvolvimento Econômico do ABC realizou nesta quarta-feira (18/5) uma série de debates sobre o futuro da indústria na região. Após 10 horas de evento no campus Centro, da USCS (Universidade Municipal de São Caetano do Sul), foi acertada a criação de um Fórum da Indústria Regional que aprofundará os debates realizados nos últimos meses e que envolverá os poderes público e privado, universidades, o setor empresarial e os sindicatos. O encontro teve o apoio do Repórter Diário.

Debate contou com cerca de 300 pessoa que participaram do evento (Foto: Divulgação)

Segundo o líder da Agência, Aroaldo Oliveira, serão 32 representantes neste novo grupo que será criado até o início de junho. Cada uma das sete prefeituras terá um representante. As universidades também contaram com sete vagas, assim como os sindicatos e a própria indústria. O Consórcio Intermunicipal Grande ABC, a Agência de Desenvolvimento Econômico, o Sebrae e o Governo do Estado terão um representante cada.

A ideia é aprofundar os debates, principalmente promovendo encontros setoriais com cada área da indústria com o objetivo de encontrar as principais demandas e as soluções dos problemas que estão gerando a desindustrialização na região. Ao final das primeiras reuniões será entregue uma carta compromisso com os diversos pontos apontados. O documento será endereçado aos poderes executivos e legislativos dos municípios da região, Estado e União, os principais representantes da indústria e para todos aqueles que tem algum envolvimento direto nos debates como o que ocorreu na USCS.

“O resultado desse encontro foi positivo. Nós conseguimos juntar todas as entidades, as organizações importantes que vão fazer acontecer aqui na nossa região através de ações. Então juntamos o Poder Público, universidades, sindicatos, a indústria com uma capacidade intelectual, com uma capacidade tremenda para organizar as atividades. Temos todo o potencial para desenvolver as nossas ações na região, articular com outros poderes, governo do Estado e governo federal, para de fato reorganizar a indústria da região, redefinir a indústria e pensar na indústria do futuro, para manter a pujança do ABC”, comentou Aroaldo ao RDtv.

Porto de Santos

Entre as falas do evento chamou a atenção de todos os relatos do prefeito de Mauá, Marcelo Oliveira (PT), e do presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Moisés Selerges Júnior, sobre o aumento do espaço no Porto de Santos dedicado exclusivamente para o agronegócio e a redução da área para o que é produzido pela indústria, o que atinge diretamente a região que tem como um de seus trunfos a proximidade com o equipamento no litoral sul.

“O que eles querem aumentar no Porto de Santos é a questão do fertilizante, eles querem triplicar esse espaço e pode acontecer algo, Deus me livre que aconteça, parecido com o que ocorreu no Líbano. Além disso, o agronegócio vem crescendo, então eu acredito que temos que construir mais portos que sejam mais próximos do agronegócio e (que o Porto de Santos) atenda a nossa a região como já vinha atendendo a questão da indústria neste espaço”, disse Oliveira que relatou que atualmente o Porto é 70% ocupado pelo agronegócio e 10% pela indústria.

Aroaldo comentou que já teve conversas com alguns setores sobre o assunto e que participará de um evento promovido pela Prefeitura de Mauá que debaterá o setor de logística com a ideia de falar muito sobre este tema. “Eu acho que o Porto de Santos sempre foi uma vantagem competitiva da região. Precisamos nos apoderar melhor desse debate”, falou.

Confira abaixo as considerações de alguns dos convidados do evento:

Receba diariamente o RD em seu Whatsapp
Envie um WhatsApp para 11 99927-5496 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários