Fundo Social de Santo André retoma cursos gratuitos com 11 novas opções

Após um período de paralisação em decorrência da pandemia da covid-19, a Escola Ouro Andreense retomou as inscrições para cursos de qualificação profissional gratuitos, ministrados em parceria com o Sebrae e o Fundo Social de Solidariedade de Santo André. Na oportunidade, 11 novas formações foram disponibilizadas para a população, entre elas os cursos de Moda e Confecção de Marmitas. Os interessados devem buscar a sede do Fundo Social ou a Praça da Cidadania, no Jardim Santo André, para realizar a inscrição.

Em entrevista ao RDtv, a primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade da cidade, Ana Carolina Barreto Serra, explica que a retomada das aulas aconteceu em acompanhamento dos índices da covid-19 na região. “Voltamos atendendo todas as normas de segurança e, inclusive, com descentralização de turmas e cursos pela cidade, para fazer frente ao crescimento econômico”, explica a primeira-dama.

A idealização dos novos cursos também surgiu neste momento da pandemia, com a recessão econômica que levou a alta de produtos básicos. “O curso de confecção de marmitas veio com a ideia de auxiliar a população em como utilizar ou reutilizar melhor os alimentos nesse momento em que tudo está mais caro”, diz. “Assim, as pessoas podem não só empreender dentro do ramo, mas se alimentar de uma forma mais adequada e, até, economizar ao fazer suas compras”, afirma Ana Carolina.

Cada curso aplicado pela Escola de Ouro tem sua especificidade e pode contar com diferentes períodos de certificação. “São cerca de 500 novas pessoas capacitadas para empreender e/ou para atender no Fundo, com diferentes certificações, seja elas quinzenais ou mensais”, cita a presidente do Fundo ao lembrar que os cursos permitem, ainda, a reinserção, reciclagem e, até mesmo, a inserção no primeiro emprego. “Isso sempre foi uma preocupação do Fundo. Queremos qualificar e requalificar as pessoas para que, através do banco de vagas, haja cruzamento de dados e elas possam empreender de maneira correta, com o acompanhamento do Sebrae”, frisa.

(Foto: Divulgação/PSA)

Costurando com amor

Também lançada pelo Fundo Social de Solidariedade de Santo André, a iniciativa Costurando com Amor, uniu 2,3 mil costureiras(os) da cidade para produção de 1,5 milhão de máscaras de proteção ao longo da pandemia da covid-19, com recebimento de R$ 2 por máscara – totalizando até o momento R$ 3 milhões. “Foi um trabalho extremamente necessário que desempenhamos junto ao Fundo Social, com mão-de-obra qualificada”, analisa Ana Carolina.

A presidente do Fundo frisa que, por conta da pandemia ainda não ter acabado, os participantes do projeto seguem com a confecção de máscaras a serem entregues em pontos descentralizados, mas que também já estuda novas confecções com os participantes do programa. “Estamos desempenhando novos projetos com o pessoal da costura, entre eles confecção de uniformes. Vamos nos readequando, pouco a pouco, para não deixar de desempenhar as atividades e, assim, formar mais pessoas com uma mão-de-obra necessária e qualificada”, diz.

30 mil cestas básicas

A primeira dama de Santo André lembra, ainda, que o Fundo Social de Solidariedade foi o responsável por beneficiar com alimentos, kits de higiene e roupas, mais de 30 mil munícipes que vivem em situação de vulnerabilidade durante a pandemia. De acordo com Ana Carolina, a pasta conseguiu atender as pessoas por meio de 114 entidades assistenciais que impactam diretamente no cotidiano de pelo menos 16 mil moradores de Santo André.

Além disso, as ações da Prefeitura também contam com entregas de cestas básicas nas comunidades e outros projetos que ajudaram a alcançar estes 30 mil moradores, de entidades assistenciais e situações vulneráveis. “Muitas pessoas precisaram de ajuda do Fundo durante a pandemia, e não tinha como fecharmos os olhos pra isso. Então conseguimos nos planejar para ajudar a população diante dessas necessidades”, destaca a primeira-dama.

Segundo ela, o Fundo segue com recebimento de doações e, para impulsionar essas contribuições, a Prefeitura posicionou caixas de papelão em diversos pontos do município. “Temos, além da própria sede do Fundo Social, caixas de papelão espalhadas pela cidade em que a população pode fazer sua doação, seja ela de brinquedo, de kit higiene, alimento, o que for. Tudo ajuda”, frisa.

Receba diariamente o RD em seu Whatsapp
Envie um WhatsApp para 11 99927-5496 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários