Reforma de escolas estaduais no ABC atingiu só 17,3% após mais de 2 anos

Rossieli Soares anunciou esta semana reforma de mais sete escolas no ABC. (Foto: Divulgação Seduc-SP)

Prometidas para ficarem prontas até junho de 2022 as obras de reforma de 150 escolas estaduais da região chegou a apenas 26 escolas, passados mais de dois anos do anúncio do projeto Escola + Bonita pelo governador João Doria (PSDB). As obras prontas representam só 17,3% do total prometido, faltando apenas nove meses para o fim do prazo anunciado. No ritmo atual, com 26 escolas reformadas nos 27 meses decorridos desde o anúncio do programa, ou seja, menos de uma escola por mês, a meta de 150 reformas só seria cumprida em dezembro de 2031.

Em 5 de junho de 2019, o Doria anunciou investimento de R$ 123,3 milhões para reformar uma centena e meia de colégios no ABC, através do programa Escola + Bonita, serviços que seriam realizados em três anos. A Secretaria de Educação do Estado disse, em nota, que os programa sofreu atrasos por conta da pandemia e disse ainda que o ritmo vai aumentar nos próximos meses e que o orçamento e o número de escolas a serem reformadas está mantido. “Em razão da pandemia da covid-19, houve dificuldade na aprovação das obras pelos órgãos competentes, o que fez com que o calendário das execuções fosse alterado. Das 150 unidades com obras previstas para todo ABC, pelo programa Escola + Bonita, esclarecemos que 26 já estão com processos concluídos. Em 44 unidades os processos estão previstos para iniciar ainda em 2021. As outras 80 escolas estão em processo de elaboração de projeto e orçamento e a previsão de contratação é em 2022. Nas unidades contempladas, cerca de 109 mil alunos serão beneficiados”.

Na quarta-feira (15/09), o secretário estadual da Educação, Rossieli Soares, assinou ordens de serviços  para obras em sete escolas estaduais, três em Mauá, duas em Ribeirão Pires e duas em Rio Grande da Serra. As intervenções somam quase R$ 7 milhões de investimento. “Para a gente ter mais condições de realizar essas grandes obras como as assinada hoje, nós precisamos descentralizar as pequenas e isso hoje nó conseguimos através do Programa Dinheiro Direto na Escola, o PDDE-Paulista, que transfere verba diretamente para as unidades decidirem como irão usar e o que elas mais precisam”, disse Soares.

Em Mauá, serão beneficiadas as Escolas Estaduais Professora Iracema Crem (R$ 1,3 milhão), Professor Ulisses Victor Gervasio (R$ 779 mil) e Professora Iracema de Barros Bertolaso (R$ 645 mil).

O RD perguntou à Secretaria de Educação quais seriam as 44 escolas cujas obras iniciariam ainda este ano, mas a pasta não informou.

Comentários