EUA podem usar tecnologia para ‘restaurar’ internet em Cuba, diz Biden

Os Estados Unidos estão analisando se podem restaurar o acesso à internet em Cuba, onde autoridades restringiram a conexão após protestos governamentais históricos, afirmou o presidente americano Joe Biden nesta quinta-feira, 15. “Estamos considerando se temos capacidade tecnológica para restaurar esse acesso”, disse Biden em entrevista coletiva ao lado da chanceler alemã, Angela Merkel, com quem se reuniu mais cedo.

Biden acrescentou que está aberto a enviar ao país “quantidades significativas” de vacinas contra a covid-19. “Eu estaria disposto a doar quantidades significativas de vacinas se, de fato, eles me garantissem que uma organização internacional administraria essas vacinas e faria isso de tal forma que os cidadãos comuns tivessem acesso a essas vacinas”, afirmou durante a entrevista. Cuba vive um aumento acentuado das infeccções pelo vírus.

Merkel e Biden discutiram a quebra de patentes de vacinas contra a covid-19, posição defendida pelos Estados Unidos. O grupo humanitário Médicos Sem Fronteiras havia pedido que Biden intercedesse no posicionamento da chanceler alemã, contrária à medida. Merkel, cientista por formação, argumentou que suspender as patentes não seria eficaz e poderia prejudicar futuras pesquisas e esforços de desenvolvimento.

Os dois chefes de Estado também prometeram trabalhar juntos para se defender contra a agressão russa e enfrentar ações antidemocráticas da China. Uma das questões discutidas foi o gasoduto Nord Stream 2, que está sendo construído da Rússia para a Alemanha sob o Mar Báltico. Tanto Biden quanto Merkel afirmaram acreditar que a Rússia não deve usar a energia como arma.

“Estamos juntos e continuaremos a nos defender para defender nossos aliados do flanco oriental na Otan contra a agressão russa”, disse Biden na entrevista coletiva.

Ele disse que ambos os países defenderão os princípios democráticos e os direitos universais quando virem a China ou qualquer outro país trabalhando para minar uma sociedade livre e aberta.

Os Estados Unidos e a Alemanha são aliados-chave da Otan, mas o relacionamento foi prejudicado durante o mandato do ex-presidente Donald Trump. Biden e Merkel se conhecem e trabalham juntos há anos. Ambos prometeram fortalecer os laços entre os dois países daqui para frente.

(Com agências internacionais)

Comentários