Samarco tenta blindar sócias, diz ação de credores

Os maiores credores da mineradora Samarco, em recuperação judicial desde abril, entraram com nova petição na Justiça alegando que a mineradora tenta blindar o patrimônio de suas acionistas – a Vale e a australiana BHP Billiton – ao propor um financiamento de R$ 1,2 bilhão bancado por elas.

O documento diz que as projeções financeiras da Samarco apontam fluxo de caixa para a empresa manter suas operações sem necessidade desse crédito, principalmente após o pedido de recuperação judicial. O grupo engloba os fundos estrangeiros das gestoras York, BofA, HSBC, BNY Mellon, CVC, Citi, Canyon, Ashmore, Maple Rock, Solus e BlackRock, que têm R$ 21 bilhões da dívida da Samarco.

“Não é crível que a recuperanda (neste caso, a Samarco), assessorada por um dos maiores bancos de investimento do mundo, o JP Morgan, não conseguiu encontrar um só player disponível a mutuar dinheiro em condições melhores do que as do empréstimo DIP (tipo de financiamento voltado a empresas em recuperação judicial)”, afirma a petição, ajuizada pelos escritórios Padis Mattar, FCDG e Resende Ribeiro Reis.

A Samarco, a Vale e a BHP não comentaram até o fechamento dessa reportagem.

Receba diariamente o RD em seu Whatsapp
Envie um WhatsApp para 11 99927-5496 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários