São Bernardo estuda criar polo de sequenciamento viral da covid-19

O secretário de saúde de São Bernardo, Geraldo Reple, disse em exclusividade ao RDtv nesta terça-feira (16/2), que São Bernardo quer implementar um polo de sequenciamento viral para estudar a possibilidade do sequenciamento de variantes do novo coronavírus (covid-19), a fim de interromper a cadeia de transmissão da doença e evitar novos casos, mortes e um colapso na saúde pública.

Em entrevista ao programa, o secretário explica que a ideia é investir no estudo do sequenciamento genético e, assim, identificar a linhagem das variantes do coronavírus encontrada atualmente em pacientes. “A USP (Universidade de São Paulo) e institutos como o Adolfo Lutz já contam com esse tipo de laboratório. Nossa ideia é trazer um igual para a região e assim conseguir estudar os vírus, sequenciá-los e até nos antecipar para uma maior proteção”, diz.

O valor de aplicação para a criação do polo está estimado em R$ 300 mil, a princípio na ordem pública. “Isso para a estrutura, recursos humanos e maquinário, que será responsável para análise e sequenciador genético”, explica o secretário ao lembrar, ainda, que desde semana passada a Secretaria de Saúde está em tratativas para a definição da criação do polo na cidade.

“Até para a rede colaborativa apelamos, mas caso a gente não consiga, esperamos ajuda do setor privado para trazer esse investimento para a região, que com certeza fará a diferença no que diz respeito à covid-19”, enfatiza.

Segundo o secretário de Saúde do Estado, José Henrique Germann, grupos internacionais têm demorado, em média, 15 dias para gerar e submeter as suas sequências relativas a casos de covid-19, o que destaca a relevância científica da pesquisa brasileira e o pioneirismo do Estado. Para Reple, com a ampliação do número de laboratórios pelo País, o prazo pode ser ainda mais reduzido. “Se o exame de detecção da doença (RT-PCR), que antes demorava 10 dias, agora demora menos que dois, podemos pensar quais serão os resultados quando tivermos mais opções de laboratórios de pesquisas”, diz.

Mais de 38 mil vacinados

Com pouco mais de 38 mil pessoas vacinadas, São Bernardo desponta como uma das cidades do ABC com o maior número de imunizados. De acordo com o secretário de Saúde, somente na primeira dose – que inclui profissionais de saúde e idosos – passam de 32 mil vacinados enquanto na segunda dose foram 6.383 imunizados.

Ao todo 46 mil doses já foram distribuídas entre hospitais do município e a estimativa de Reple é que, antes mesmo de 1º de março, São Bernardo se antecipe e inicie a vacinação dos idosos com idades entre 80 e 84 anos. “A depender do quantitativo de vacinas, queremos até ampliar a faixa etária e chegar nos idosos com idades de 78 ou 79 anos”, diz.

A expectativa da Secretaria de Saúde de São Bernardo é que, até maio, os quase 200 mil idosos com mais de 60 anos do município tenham recebido a aplicação das duas doses da vacina. “Isso vai representar praticamente 80% dos casos graves da cidade, será nosso sonho de consumo realizado e nossa população de risco totalmente protegida”, diz.

Receba diariamente o RD em seu Whatsapp
Envie um WhatsApp para 11 94984-9581 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários