Nutricionista dá dicas de como montar ceia de Natal adequada ao orçamento

Neste ano, as comemorações de Natal devem acontecer de forma diferente nas famílias. Devido a pandemia do novo coronavírus, receber muitos parentes e amigos em casa não é a melhor opção para o período. Portanto, com as reuniões reduzidas e o orçamento apertado, visto que inúmeros trabalhadores perderam o emprego ou tiveram os salários reduzidos, a ceia deve ser readequada e planejada para garantir que atenda não só as necessidades nutricionais, como de tradição e que não haja desperdício. 

Para isso, a nutricionista, mestre em nutrição e professora da São Judas, Rosana Rossi, recomenda que os alimentos devem ser pensados antecipadamente, e as quantidades adaptadas a quantidade de pessoas que irá participar do jantar. “Temos que lembrar que a ceia de Natal tem uma questão afetiva e cultural. Visto que o valor dos alimentos subiu cerca de 15%, há a necessidade de gastar menos. Portanto é importante planejar o cardápio, o prato principal, carne e adequar ao o número de pessoas”, salienta. 

 Como uma das partes mais priorizadas nas ceias, as opções de carne são variadas e podem ser escolhidas de forma que não gere desperdício, segundo a especialista. “Existe uma variação grande de tender, peru, lombo e chester, para encaixar no orçamento e na quantidade de pessoas. Visto que um chester ou peru tem pelo menos 4kg, talvez não seja a opção ideal para uma família pequena, por isso, podemos optar por carnes possíveis de comprar em menor quantidade”, ressalta. 

No âmbito nutricional, a nutricionista conta que é possível respeitar a tradição das preparações, mas se alimentar de uma forma saudável e sem exageros. “Não podemos deixar de incluir no prato saladas variadas e frutas da época. Além disso, é importante respeitar os limites do próprio corpo e não comer exageradamente. Dormir bem e consumir pelo menos 1,5l de água por dia também ajuda a evitar desconfortos e, claro, manter a saúde em dia”, explica.  

Para tornar os pratos especiais e sair da mesmice, a dica é preparar molhos e acompanhamentos diferentes para as saladas, além de investir em frutas da época. “Fazer um mix de folhas com palmito, azeitona e pesquisar molhos diferenciados para a salada, é uma opçãoOptar por ingredientes assados também evita o consumo de gordura”, pontua.  

Se a dúvida está por onde começar, e o que evitar para que a ceia seja mais saudável e especial possível, Rosana Rossi explica que abrir o menu com a as folhas, compor o prato com pelo menos 50% de legumes e verduras, e substituir o refrigerante por outro tipo de bebida com menos açucares, é a melhor opção. “O ideal é que em metade do nosso prato tenha pelo menos três cores entre verduras e legumes e que ingerimos cerca de três frutas diferentes por dia”, conclui.  

Receba diariamente o RD em seu Whatsapp
Envie um WhatsApp para 11 99927-5496 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários