Vera Cruz completa 70 anos com exposição em São Bernardo

Relembrando do passado, celebrando o presente e imaginando o futuro. É a assim que a Prefeitura de São Bernardo e a Sabesp estão celebrando os 70 anos de fundação dos estúdios Vera Cruz. Uma exposição com 850 peças das 22 produções realizadas pela companhia foi aberta ao público nesta quinta-feira (14), com entrada franca.

Vera Cruz foi inaugurada em 1949 (Foto: Gabriel Inamine)

O público terá a oportunidade de ver o acerto da companhia que estava guardado nos últimos anos em galpões e que foram recuperados pelo Poder Público. São peças de roupas, cartazes, maquinário e até o “Anastácio”, veículo utilizado por Amácio Mazzaropi (1912-1981) em diversos filmes gravados pela Vera Cruz.

“O são-bernardense tem uma ligação com o Vera Cruz e isso não pode ficar escondido tem que ficar em exposição, e é isso que nós vamos fazer nos próximos meses, tenho certeza que vai ser um sucesso (essa exposição), vai ser um ganho para a cultura e para a população”, afirmou o secretário de Cultura, Adalberto Guazzelli.

A exposição seguirá até o próximo domingo (17), porém, a Prefeitura dividirá o acervo e disponibilizará em pequenos museus que serão montados em vários equipamentos públicos do município. Ainda não foram definidos quais locais vão receber os objetos.

🎬 Vera Cruz 70 Anos: Faça um tour virtual pela exposição que segue até domingo, das 14h às 21h, com entrada franca em São Bernardo. #RDTV com Leandro Amaral

Posted by Jornal Repórter Diário on Thursday, November 14, 2019

Histórico

Os estúdios Vera Cruz foram criados pelo empresário de origem italiana de Franco Zampari e o cineasta Alberto Cavalcanti, em 1949. Os primeiros filmes foram gravados em 1950: Painel e Santuário, dirigidos por Lima Barreto; e a primeira película, O Caiçara, de Adolfo Celi.

O principal sucesso da companhia foi O Cangaceiro, de 1953, dirigido por Lima Barreto com diálogos escritos por Rachel de Queiroz. Estrelado por Alberto Ruschel, Marisa Prado, Milton Ribeiro, Vanja Orico e Adoniram Barbosa, o filme venceu o prêmio de melhor trilha sonora no Festival Internacional de Cannes. A música principal foi Mulher Rendeira, interpretada pela atriz Vanja Orico e o grupo Demônios da Garoa. Foram arrecadados US$ 50 milhões na época, porém, pouco retornou para a companhia.

🎬 Vera Cruz 70 Anos: Orlando Morando diz que acervo estava abandonado e agora, recuperado, ficará nos espaços de cultura de São Bernardo para visitação. São quase 1 mil itens🎬 Entre os rostos conhecidos do público, passaram pelo VERA CRUZ as atrizes Tônia Carrero e Cleyde Yaconis, além da lenda do cinema nacional, Amácio Mazzaropi, campeão de bilheteria até os anos 70.🎬 Exposição vai até domingo, das 14h às 21h, com entrada franca em São Bernardo. #RDTV com Leandro Amaral

Posted by Jornal Repórter Diário on Thursday, November 14, 2019

O último filme da Vera Cruz foi São Paulo em Festa, de 1954. A companhia fechou as portas e o estúdio passou a ser administrado pelo Poder Público. Nos anos 2000, o local passou a ser usado para feiras e outras exposições. A partir de 2007, o local passou a ser oferecido para emissoras de televisão como Globo e RecordTV, além de agências de publicidade.

“É sim para comemorar muito os 70 anos do Vera Cruz. Essa é uma história que não pode se acabar, é um local tombado e preservado por nós, e ne não fosse a sinergia da equipe deste governo eu tenho medo do que aconteceria com esse local”, comentou o prefeito Orlando Morando (PSDB).

 

 

Receba diariamente o RD em seu WhatsApp
Envie um WhatsApp para 11 94984-9581 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários