Restaurantes do ABC investem na mescla de tradições

Os irmãos Álvaro e Diego Pinon, do Bar da Villa, apostaram na mistura Brasil e Uruguai (Foto: Amanda Lemos)

Conhecida mundialmente pela diversidade étnica, a gastronomia brasileira se torna cada vez mais presente nos restaurantes da região. A combinação de temperos e sabores, somada a influências internacionais, tem aguçado tantos paladares, que desde as opções mais exóticas até o simples arroz e feijão com tempero peculiar chama atenção da clientela.

Em Ribeirão Pires, a procura pela excentricidade do restaurante Bar da Villa, criado em 2010 e especializado em culinária brasileira e uruguaia, cresceu tanto que os irmãos Álvaro e Diego Pinon tiveram de se mudar, há quatro meses, da Vila Suíça, onde tinham um bar com capacidade para 32 pessoas, para um espaço maior, no centro da cidade, que oferece 180 lugares.

(Foto: Divulgação)

No novo ambiente, o cardápio e a decoração, que remetem às origens da família, fizeram as vendas triplicarem e as especialidades parrilla uruguaia e feijoada brasileira virarem carro-chefe da casa. “Só no fim de semana temos a saída de 60 a 70 pratos”, conta Álvaro Pinon.

O segredo do sucesso, de acordo com o proprietário que também teve restaurante no Uruguai, é a pluralidade dos ingredientes. Exemplo é a versão abrasileirada da parrilla, que ganha arroz como acompanhamento. “Procuramos mesclar as duas culinárias e adaptar ao gosto do cliente. Muitos que embarcam para experimentar a comida uruguaia, pedem um acompanhamento brasileiro e isso conquista o paladar”, acrescenta.

Bar da Villa tem receitas próprias e diferenciadas (Foto: Amanda Lemos)

Outras especialidades são os lanches brasileiros e uruguaios, empanadas, peixes, doce de leite uruguaio e até drinks que remetem ao país. A novidade da casa é a cesta de churros, sobremesa feita com doce de leite uruguaio, churros e sorvete. Aberta de domingo a domingo, a casa oferece almoço à la carte e buffet, para comer à vontade, ou por quilo, além de pratos executivos.

Culinária Árabe
Na rua Dona Elisa Fláquer, em Santo André, o recém-inaugurado restaurante Ananas, especializado em comida árabe, chama atenção de ao menos 20 pessoas ao dia, a maioria no horário de almoço. O cardápio com massa shawarma de frango, shishitawouq de frango preparado com pimentão e cebola e a famosa kafta de carne no espeto, com acompanhamento de feijão, dá água na boca do cliente em razão da mistura de culturas e excentricidades de temperos. Ao longo da semana saem cerca de 60 espetos.

Em Santo André, Ananas é especializado em comida árabe (Foto: Pedro Diogo)

No Brasil há dois anos, o garçom egípcio Abdalla Madkour é encantado com a mistura dos temperos brasileiros e diz que faltam restaurantes étnicos na região. “São poucas as opções por aqui e sabíamos que daria certo”, comemora. Além do retorno financeiro, a satisfação é ver novos clientes terem acesso à sua cultura.

Aos que não são acostumados com a culinária e o pouco tempero da comida árabe, a indicação é começar com o falafel (R$ 16), um bolinho árabe feito com grão de bico, e a kafta no espeto ou em pratos feitos, tradicionais em restaurantes paulistas. “São os pratos mais tradicionais e com maior aceitação”, sugere.

Receba diariamente o RD em seu WhatsApp
Envie um WhatsApp para 11 94984-9581 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários