Vinicius Junior exalta sua estreia pela seleção brasileira, mas Tite pede calma

Depois de ser cortado de dois amistosos em março por conta de uma lesão no tornozelo direito e não ter voltado a tempo de disputar a Copa América, o atacante Vinicius Junior enfim fez a sua estreia na seleção brasileira. Na noite de terça-feira (início da madrugada no Brasil), o jogador do Real Madrid entrou em campo aos 27 minutos do segundo tempo da derrota para o Peru por 1 a 0, em Los Angeles, nos Estados Unidos, e comemorou bastante os seus primeiros momentos no time principal.

“Um dia especial para mim, para toda a minha família, todo mundo que gosta de mim, do meu futebol. Fico triste pelo resultado, mas feliz pela minha estreia. Que seja um longo caminho com a amarelinha. Tentei fazer as coisas que tinha treinado, mas infelizmente não saiu como queria, mas eu fico feliz de ter estreado e vou voltar feliz para casa. Agora que a gente possa seguir trabalhando no clube para, em breve, poder voltar para a seleção. Tenho aprendido bastante no Real e aqui”, disse o atacante de 19 anos, antes de falar sobre a oportunidade de jogar ao lado de Neymar.

“Era outro sonho que eu tinha, jogar com o Neymar, que é meu ídolo e eu fico feliz de ter jogado. Não tem coisa melhor que isso, não tem nada que pague isso. Só desfrutar desse momento. Feliz de poder estar aqui com grandes jogadores e passar esses 10 dias aqui. Passou rápido, todo mundo muito feliz, muito contente. Fico feliz de ter estreado e ao lado do meu ídolo”, finalizou Vinicius Junior.

Em campo, mesmo com muita vontade e disposição, o atacante pouco conseguiu fazer. Tentou uma arrancada e algumas tabelas, mas não teve sucesso. Na sua melhor chance, recebeu uma bola pelo lado esquerdo da área, mas pegou mal e acabou desperdiçando a chance de empatar o jogo.

Na entrevista coletiva após a partida, o técnico Tite pediu calma e pés no chão com Vinicius Junior. E também ressaltou que ele ainda vai crescer. “Calma (risos). Botei um garoto de 19 anos para ganhar no lance individual e jogar na profundidade. Ele puxou uma tabela, acho que foi com o Neymar. É um jogador que precisa de espaço para essa bola lançada. Mas vai amadurecendo, é garoto”, afirmou.

Com mais quatro amistosos neste ano – dois em outubro e outros dois em novembro -, Tite quer fazer mais testes na seleção de olho no início das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022, que será em março de 2020. Mas ele ressaltou que isso pode afetar o desempenho da equipe.

“No pós-Copa América, começou uma outra etapa de oportunidades. Então é natural que não atinja o mesmo patamar de desempenho. Gosto de dar oportunidades para jogarem, isso é fundamental. Eu gostei do desempenho nos dois segundos tempos. No primeiro tempo (contra a Colômbia), fomos muito irregulares, a Colômbia atacava, mas nos dava brecha. Hoje (terça-feira), não. O futebol é criar oportunidades e fazer o gol, ser efetivo. Mas o nosso desempenho no segundo tempo foi criando oportunidades. Aí nos faltou uma precisão maior. O goleiros deles, quando acionado, também foi bem”, completou o treinador.

Receba diariamente o RD em seu WhatsApp
Envie um WhatsApp para 11 94984-9581 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários