Caboclo diz que CBF não cortará Rodrygo e provoca dúvida se Santos pode escalá-lo

(Foto: Banco de Imagens)

O desejo da diretoria do Santos de adiar a despedida de Rodrygo do clube se tornou um imbróglio. Sem conseguir formalizar a desconvocação do atacante da seleção olímpica, o clube não o utilizou no fim de semana, no duelo contra o Ceará, pelo Campeonato Brasileiro. E o presidente da CBF, Rogério Caboclo, avisou que a entidade não pretende cortá-lo nos próximos dias, mesmo com a decisão se o jogador não se apresentar para a disputa de um torneio que está em andamento na França.

A situação de Rodrygo é parecida com a do lateral-esquerdo Renan Lodi, do Athletico-PR. Os clubes decidiram não ceder os jogadores, mas sem o aval da CBF, que não os cortou. A diferença é que o clube paranaense até tentou ceder o jogador após a participação na final da Recopa Sul-Americana, na última quinta-feira. Mas Caboclo explicou que a confederação optou por não recebê-lo em função do atraso.

“Compreendo que uma vez o jogador convocado, ele não deve ser desconvocado. Foi o que aconteceu com os dois atletas. O Athletico-PR nos ofereceu o jogador fora do prazo, o que não poderia acontecer, já que os outros se apresentaram no prazo. O Rodrygo não se apresentou. Nenhum dos dois foi desconvocado”, afirmou o presidente da CBF em entrevista ao Fox Sports.

No fim de semana, Rodrygo chegou a viajar para Fortaleza, mas ficou fora até do banco de reservas no confronto com o Ceará porque o jogador não foi desconvocado da seleção olímpica. O Santos, então, se preveniu, entendo que corria o risco de ser punido.

“Recebemos um ordem da direção, ora para escalar, ora para não escalar, e aí decidimos que era melhor nos ajustarmos ao regulamento, esperando por uma resposta da CBF que nunca chegou”, explicou o técnico Jorge Sampaoli em entrevista coletiva após o triunfo por 1 a 0 sobre o Ceará.

Essa situação poderá se repetir na quinta-feira, quando o Santos vai receber o Atlético-MG, no Pacaembu, pelo duelo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. Depois, antes da pausa dos torneios de clubes para a disputa da Copa América e antes da transferência de Rodrygo para o Real Madrid, o clube fará mais dois jogos, diante de Atlético-MG e Corinthians, ambos na Vila Belmiro e pelo Campeonato Brasileiro.

Assim, sem a desconvocação do jogador pela CBF, o Santos precisará avaliar, com o seu departamento jurídico, se poderá legalmente utilizar Rodrygo em seu próximos compromissos. Caso a resposta seja negativa, ele terá se despedido do clube em 26 de maio, quando participou do empate por 0 a 0 com o Internacional, na Vila Belmiro, pelo Brasileirão.

Receba diariamente o RD em seu WhatsApp
Envie um WhatsApp para 11 94984-9581 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários