Dia é de ajuste do Ibovespa após ganhos da véspera

O Ibovespa cai nesta terça-feira, 12, após os ganhos da véspera, quando subiu 2,79%, aos 98.026,62 pontos – avanço de quase três mil pontos entre sexta-feira e ontem. O principal índice da B3 recua abaixo dos 97 mil pontos, mas isso, conforme profissionais do mercado, não indica pessimismo dos investidores. Às 11h03, o Ibovespa caia 0,27%, aos 97.760,19 pontos.

“Ainda tem motivos para subindo. O que fez o índice avançar ontem foram as conversas positivas sobre a reforma da Previdência, e isso continua. Só que lá fora também ajudou. Hoje, parece que o exterior está em ‘stand by’ espera”, observa Thiago Salomão, analista da Rico Investimentos.

Ontem, o líder do governo na Câmara dos Deputados, Major Vitor Hugo (PSL-GO), afirmou ao Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) que o Executivo liberará até a próxima semana o pagamento de mais de um R$ 1 bilhão em emendas parlamentares impositivas. A medida ajudará na disposição dos congressistas em votar a reforma da Previdência.

No exterior, há o aguardo pela votação do Brexit no Parlamento britânico, o que pode contribuir para que os investidores daqui embolsem lucros, dependendo do resultado. Além disso, os investidores ficarão atentos ao desenrolar da reforma previdenciária. “Vamos ver como serão as negociatas. O governo diz que tudo será feito em termos técnicos, mas temos de esperar para ver como será o andamento do processo”, diz um operador ao referir-se à expectativa com o início da tramitação da proposta de reforma da Previdência na Comissão da Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados entre amanhã e quinta-feira.

No exterior, os investidores estão avaliando o resultado da inflação norte-americana, cuja taxa ficou em 0,2% em fevereiro, dentro do previsto. Já o núcleo do indicador, que indica uma tendência mais acurada da inflação, ficou em 0,1% no mês passado, ficando aquém da projeção de 0,2%. O dado ajudou os índices futuros das bolsas de Nova York a ganharem força, enquanto o dólar acentuou a queda.

De certa forma, o resultado mais baixo fortalece a ideia de manutenção do juro básico nos EUA, o que tende a beneficiar emergentes, como o Brasil. Entretanto, Salomão ressalta que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) tem sinalizar estar mais preocupado com a desaceleração da economia do país e global. “Parece não estão com os olhos voltados para a inflação, mas sim para o desaquecimento mundial”, diz.

Por aqui, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), acelerou a 0,43% em fevereiro. Entretanto, as medidas de núcleos indicaram que a inflação brasileira segue sob controle.

Receba diariamente o RD em seu WhatsApp
Envie um WhatsApp para 11 94984-9581 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários