Sindserv organiza manifestação após veto de emenda de reajuste salarial

(Foto: Divulgação)

O Sindicato dos Servidores Públicos (Sindserv) de Santo André deve iniciar movimentações a partir de fevereiro por conta do veto de emenda da proposta de reajuste salarial. Segundo o diretor do SindServ, Rodrigo Gomes, em dezembro, vereadores votaram orçamento cerca de R$ 40 milhões para as Reclassificações e Plano de Carreira para servidores municipais, entretanto, o prefeito Paulo Serra vetou a emenda proposta pelos vereadores e Sindicato sem qualquer comunicação ou proposta consolidada para a categoria.

As informações do Sindserv são de que na primeira sessão em que se foi discutido a emenda, 13 vereadores aprovaram o reajuste de 0,2% da arrecadação, o que beneficiaria aproximadamente 15 mil servidores, enquanto na segunda sessão, o número subiu para 20 vereadores a favor da medida. “A organização das manifestações da Campanha Salarial e do Plano de Carreira será exatamente em relação a isso. Foram 2/3 dos vereadores que votaram a favor da emenda de reclassificação e do plano de carreira dos trabalhadores e o prefeito simplesmente vetou”, relata Rodrigo.

Ainda de acordo com o diretor, a categoria pede reajuste salarial acima da inflação, vale refeição, melhora na condição de trabalho entre outras reivindicações. Segundo ele, o prefeito Paulo Serra havia sinalizado curva salarial aos servidores, mas ainda assim, seguem sem qualquer proposta de reclassificação ou plano de carreira definido para 2019.

Procurada pela equipe do Repórter Diário, a Prefeitura de Santo André informa que respeita todas e quaisquer emendas enviadas pelos vereadores, mas há responsabilidade com o dinheiro público que deve ser cumprida. Reitera que não há a possibilidade da execução destas emendas com o estado financeiro do município e que após minucioso estudo, novidades devem ser apresentadas na próxima semana.

Comentários