PSDB de São Caetano racha com apoios de Auricchio e Vidoski

O período eleitoral de 2018 evidenciou algo já descrito por fontes próximas ao PSDB de São Caetano desde o ano passado. O prefeito José Auricchio Júnior (PSDB) e o vice-prefeito Beto Vidoski (PSDB) estão divididos em torno do apoio às candidaturas de aliados para deputado estadual e federal. Pessoas próximas aos dois consideram que ambos podem ficar em lados opostos para a eleição de 2020.

Auricchio articula o apoio da maior parte de sua base para seu filho Thiago Auricchio (PR), que busca uma vaga na Assembleia, e Alex Manente (PPS) que tenta a reeleição para a Câmara Federal. Porém, durante a convenção do diretório estadual, na semana passada, o vereador Daniel Córdoba (PSDB) apareceu na lista dos postulantes para deputado federal.

O legislador de São Caetano ainda não confirmou se realmente vai disputar o cargo. A decisão só sairá neste sábado (4), no penúltimo dia do calendário eleitoral de convenções. Inclusive viajará para Brasília, onde o partido fará a apresentação da campanha de Geraldo Alckmin (PSDB) à presidência.

Vidoski e Auricchio estão em lados opostos nesta eleição

Segundo fontes tucanas, Córdoba foi um nome colocado por Beto Vidoski, que além do vereador também apoiará o nome de Carlos Sampaio (PSDB), que busca a reeleição para o Parlamento Federal. O fato irritou José Auricchio Júnior que evitou colocar o nome do vice-prefeito como o principal coordenador da campanha de Thiago Auricchio.

Procurados pelo RD, os envolvidos não responderam. Entre os vereadores procurados, Eduardo Vidoski (PSDB) confirmou que apoiará Sampaio e Thiago.

O que também ocorrerá com os demais. Daniel Córdoba afirmou, ao Diário do Grande ABC, que tem apoio de secretários, entre eles, Regina Maura, chefe da pasta da Saúde e histórica aliada de Auricchio, algo que causou estranheza no tucanato.

Outro fato que ainda não foi engolido no partido foi o fato de Thiago e Alex participarem de legandas  que apoiarão a pré-candidatura de Márcio França (PSB) à reeleição. Lembrando que o PSDB tem como candidato o ex-prefeito de São Paulo, João Doria.

2020

Alguns integrantes do partido procurados pela reportagem consideram que essa divisão de apoios, entre José Auricchio Júnior e Beto Vidoski, pode fazer com que ambos estejam de lados opostos na eleição municipal de 2020. Fato que é corroborado com a aproximação do chefe do Palácio da Cerâmica com o presidente do Legislativo, Pio Mielo (MDB).

Até 2015, Vidoski era o principal nome do PSDB na cidade e era cotado como candidato a prefeito. Porém, em setembro do mesmo ano, Auricchio se filiou a legenda para a ser o postulante ao comando do Executivo, e existia um acordo para que o atual número dois do Palácio da Cerâmica fosse o sucessor. No entanto, cada vez mais, a situação fica longe do acertado há quase três anos.

Receba diariamente o RD em seu WhatsApp
Envie um WhatsApp para 11 99927-5496 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários