Estado libera R$ 9 mi para reforma de piscinas do Dell’Antonia

Piscina olímpica está desativada (Fotos: Pedro Diogo)

Com 59 anos de história e celeiro de grandes nomes do esporte brasileiro que passaram por ali ao longo do tempo, o Complexo Esportivo Pedro Dell`Antonia, instalado na Vila América, em Santo André, será finalmente, depois de décadas, revitalizado. Pelo menos é o que garante a Prefeitura de Santo André, com base nos cerca de R$ 9 milhões viabilizados junto a Desenvolve SP (Agência de Desenvolvimento Paulista), instituição financeira do governo do Estado. O recurso, que ainda não chegou aos cofres municipais, será aplicado na instalação de novos espaços e na recuperação de vários equipamentos públicos esportivos da cidade.

Entre as intervenções do complexo esportivo, o projeto prevê reforma dos três ginásios e das piscinas semi-olímpica e olímpica, a última desativada no início da atual gestão por conta das condições precárias em que foi encontrada, segundo a Administração, com vazamentos e problemas significativos na casa de máquinas e em toda a estrutura. Do recurso total, R$ 1,5 milhão será investido na recuperação das piscinas.

Após o processo licitatório, a primeira obra será na piscina olímpica, que teve as aulas de natação suspensas à população e transferidas para as unidades dos Cesas (Centros Educacionais de Santo André). A proposta é modernizar as salas de máquinas e reduzir custos com a instalação de sistema de aquecimento solar, além de melhorar a infraestrutura interna e externa, como alvenaria, vestiários e salas de apoio, para atender atletas de alto nível e moradores.

Na sequência, pelo cronograma de obras, ocorrerá a revitalização da piscina semi-olímpica, onde treinam hoje, diariamente, 110 atletas das equipes de alto rendimento. A Secretaria de Esporte e Prática Esportiva garante que os treinamentos não serão prejudicados.

Solo interno cedeu dentro da piscina olímpica: água suja

 

Abandono
O tradicional complexo esportivo de Santo André chegou a ser inscrito pelo COB (Comitê Olímpico Brasileiro) como local de treinamento de atletas nas Olimpíadas Rio-2016 – não utilizado por nenhuma delegação internacional.

A equipe do RD esteve no local e constatou a precariedade da piscina olímpica, atualmente vazia, com azulejos soltos, várias rachaduras e até mesmo afundamento da estrutura, com acúmulo de água parada e sujeira. Ao longo do governo anterior, o equipamento esteve interditado por muitas vezes, o que provocou manifestações de pais e alunos contra o descaso e a interrupção das aulas.

Outros equipamentos
Outros equipamentos esportivos também passarão por melhorias e modernização, como os ginásios do Parque Prefeito Celso Daniel, Noêmia Assumpção (conhecido como Camilópolis) e Sacadura Cabral, além da pista de atletismo do estádio Bruno José Daniel. No total, os espaços reúnem em torno de 23 mil pessoas, entre alunos e atletas, que atendem a 29 modalidades. O investimento será de R$ 2,7 milhões, segundo a Prefeitura.

Comentários