Fed limita exposição de crédito que grandes bancos nos EUA podem manter entre si

O Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) aprovou nesta quinta-feira uma nova norma que limita a exposição de crédito que bancos operantes no país com US$ 250 bilhões ou mais em ativos totais podem manter entre si. Entre as instituições financeiras afetadas pela regulação estão J.P. Morgan, Bank of America Merril Lynch, Citigroup e Goldman Sachs.

“Um banco global sistemicamente importante, ou GSIB (na sigla em inglês), estará limitado a uma exposição de crédito de não mais que 15% de seu capital de alta qualidade a uma outra instituição financeira sistemicamente importante”, explica a autoridade monetária em comunicado.

O BC americano informou ainda que os bancos sistemicamente importantes serão obrigados a cumprir as novas normas a partir de 1º de janeiro de 2020.

“Como demonstrado durante a crise financeira, exposição excessiva entre as maiores instituições financeiras espalhou contágio e erodiu a confiança nessas instituições”, justifica o Fed.

A norma, que implementa uma parte do conjunto de leis conhecido como Dodd-Frank, recebeu hoje o aval final da diretoria do Fed, composta pelo presidente do BC americano, Jerome Powell, o vice-presidente para Supervisão, Randal Quarles, e a dirigente Lael Brainard.

Comentários