Sem cargo em vista, Paulo Serra e Aidan Ravin ensaiam aproximação

Hoje Aidan é médico plantonista da UPA Central. (Foto: Arquivo)

Interlocutores do prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), têm conversas com aliados do ex-prefeito andreense Aidan Ravin (PSB), por uma aproximação entre as partes. Ambos foram rivais ferrenhos tanto nas eleições municipais de 2012 como de 2016, porém, a expectativa, principalmente por parte do PSB, é a inclusão em médio prazo do socialista à gestão tucana.

Atualmente, existem tratativas embrionárias entre o Paço e integrantes do PSB sobre uma adesão política de Aidan ao governo andreense. O fato do ex-prefeito não realizar críticas públicas à gestão tucana ajuda na aproximação. Entretanto, exatamente por ainda estar em fase incipiente, aliados de Serra descartam discutir cargo, embora o núcleo em torno do socialista vislumbre a possibilidade aos próximos meses.

Para aliados de Serra, ainda é cedo para integrar Aidan aos quadros do governo, tendo em vista o discurso do tucano no segundo turno da eleição andreense em 2016. Na ocasião, o chefe do Executivo rejeitou publicamente o apoio do ex-prefeito, terceiro mais votado, por dizer que representava o “novo” diante da “velha forma de governar a cidade”, em alusão tanto ao socialista como ao antecessor Carlos Grana (PT).

Como prefeito, Aidan também minou internamente as articulações de Serra ser candidato ao governo andreense em 2012, quando o tucano era vereador. A intenção do socialista era ter o partido do governador Geraldo Alckmin (PSDB) como vice na chapa pela reeleição, porém, a então ocupante do cargo e hoje secretária municipal de Educação, Dinah Zekcer (PTB), conseguiu se segurar no posto na chapa.

Em seguida, Serra se transferiu ao PSD e apoiou o projeto de Grana ao governo andreense em 2012, enquanto o PSDB teve candidatura a vice-prefeito na chapa de Raimundo Salles (à época no PDT). Com a vitória do petista contra Aidan, o tucano comandou a antiga Secretaria de Mobilidade Urbana, Obras e Serviços Públicos por dois anos e meio, até sair e voltar ao tucanato andreense visando o pleito de 2016.

Servidor público e hoje trabalhando como médico plantonista da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Central às terças-feiras, Aidan somente teria espaço, atualmente, em um cargo de segundo escalão. O posto da atual secretária municipal de Saúde, Ana Paula Peña Dias, não é colocado em xeque nos corredores do Paço.

Outra possibilidade descartada, por ora, é a direção do CHM (Centro Hospitalar Municipal), ocupado interinamente pelo secretário adjunto de Saúde, Ricardo Macarini Ferreira, após a exoneração de Carlos Eduardo Corsi, em agosto, por Serra desaprová-lo na gestão do equipamento. O governo já escolheu uma médica para assumir definitivamente a direção da unidade ao fim deste mês, porém, evita antecipar o nome.

Mesmo com as barreiras, a intenção de integrantes do PSB é desatar esse nó nos próximos meses, nem que Aidan assuma um cargo de direção em uma unidade de Saúde na cidade.

Comentários