Procon de Santo André deve oferecer atendimento online ao consumidor

Uma ação inédita na região está sendo estudada pelo Procon de Santo André e certamente favorecerá o trabalho desenvolvido em defesa do consumidor. Trata-se do serviço de atendimento online do órgão público, que tem expectativa de ser consolidado até o final deste ano. A ação, inclusive, já foi levada ao conhecimento do prefeito Paulo Serra (PSDB), conforme informação antecipada ao Repórter Diário pela diretora do Procon andreende, Doroti Cavalini.

A gestora do órgão esclarece que o projeto está em fase inicial e o detalhamento sendo estudado. A ideia para registro de reclamação é que o consumidor consiga enviar de forma eletrônica os documentos necessários, que envolvem a relação de consumo, escaneados, evitando a ida presencial ao Procon.

“É um avanço, a pessoa só vai precisar ir até a unidade se houver necessidade de audiência de tentativa de conciliação”, diz Cavalini, que também fez balanço de atendimento da unidade referente ao primeiro trimestre do ano.

De janeiro a março, foram registrados 3.161 atendimentos. Os principais problemas registrados pelo consumidor de Santo André em serviços essenciais foram relacionados a telefonia fixa (27,55%), telefonia móvel (26,06%) e energia elétrica (6,91%). Além disso, também houve grande procura de consumidores interessados em negociação de débitos.

Diretora do Prcon de Santo André Doroti

A área de assuntos financeiros está em segundo lugar e registrou 404 atendimentos no período (21,45% do total de atendimentos no trimestre). A lista é liderada por reclamação a empresas de cartão de crédito (17,98%), bancos comerciais (8,94%) e financeiras (7,45%).
As cinco empresas que lideram o ranking de reclamações na cidade são a Vivo/Telefônica, Claro/Net/Embratel, Grupo Pão de Açúcar/Extra/Ponto Frio/Casas Bahia, Bradesco e Grupo Itaú Unibanco.

Reclamações na região
Em São Bernardo, de janeiro a abril deste ano foram registradas 3.606 reclamações pelo Procon. As mais solicitadas pelo órgão foram com a Vivo/Telefônica, Claro/Net/Embratel, Bradesco, Pão de Açúcar/Extra/Ponto Frio/Casas Bahia e Eletropaulo. Em 2016, no mesmo período foram 7.482 reclamações.

O Procon de Mauá informa que registrou 1.352 reclamações até abril e 1.428 no mesmo período do ano anterior. As principais queixas são relacionadas à cobrança indevida/abusiva, produto com vício de fabricação, descumprimento de contrato/oferta, não entrega de produto/serviço e propaganda enganosa. As empresas que mais receberam reclamações são a Vivo/Telefônica, Claro/Net, Casas Bahia (Grupo Via Varejo/Cnova/Pão de Açúcar), Eletropaulo e Tim.

Em São Caetano, também de janeiro a abril deste ano, o Procon informa que foram registradas aproximadamente 800 reclamações. No mesmo período ano passado foram em torno de 900.

As empresas que lideram o ranking são a Vivo, Claro, Net e Grupo Pão de Açúcar.

Já em Ribeirão Pires, também até abril foram registras 52 reclamações, e no mesmo período do ano passado, foram 131. As principais queixas e empresas apontadas também são de telefonia (Vivo TV, Internet, Fixa e Móvel, Tim, Claro), Sky, Bradescard, Eletropaulo, CNova e B2W (Casas Bahia, Ponto Frio, Barateiro e Extra).

Os Procons de Diadema e Rio Grande da Serra não responderam até o fechamento da reportagem.

Comentários