Santo André quer zerar fila de exames em um ano

Paulinho Serra anuncia Fila Zero

A Câmara de Santo André recebeu na tarde desta quinta-feira (16) o primeiro projeto de lei elaborado pelo governo Paulo Serra (PSDB), que visa permitir que hospitais e clínicas reduzam as dívidas que possuem com o município através da realização de exames.

Nos cálculos do Paço, a medida vai permitir zerar a fila por exames e consultas em Santo André em um ano.

A fila de consultas com especialistas chega a 57.812 solicitações, com destaque para dermatologia com 11.689 pedidos, neurologia adulto com 7.764 pedidos e proctologia com 4.137 solicitações. Há demandas em espera desde abril de 2014. De acordo com a Secretaria de Saúde, há 60.808 guias de pedidos de exame pendentes.

No entanto, todos os números divulgados podem mudar quando os munícipes que estão no aguardo forem contatados. Devido ao atraso de até quatro anos de espera, parte dos pacientes que aparecem na fila podem já ter feito o exame, não precisarem mais do procedimento ou ter falecido.

O programa, que deve ser batizado de Fila Zero, começará a funcionar logo após o projeto ser aprovado na Câmara. Enquanto isso, a Prefeitura tem mantido conversas com equipamentos de saúde que devem ISS (Imposto sobre Serviços) para o município. Um exemplo é o Hospital Christóvão da Gama, que deve cerca de R$ 40 milhões – a maior dívida entre todos os hospitais.

“O pagamento dessa dívida poderia não acontecer, se estender por anos de disputa na Justiça ou até ser parcelada, demorando muito tempo para retornar à população. Com esse projeto, ambos os lados ganham, as empresas por quitarem seus débitos e o município por garantir atendimento digno a quem precisa”, afirma o prefeito de Santo André.

Reforma

O próximo projeto elaborado pela Prefeitura de Santo André que chegará à Câmara diz respeito à reforma administrativa do primeiro escalão, que eliminará secretarias e colocará novas atribuições às pastas. O prefeito Paulo Serra prevê que a proposta será enviada ao Legislativo na próxima quinta-feira (23).

Comentários