Trump não deve impor grandes restrições às exportações da China, diz banco

Trump não deve impor grandes restrições (Foto: Michael Vadon)
Trump não deve impor grandes restrições (Foto: Michael Vadon)

Não se deve esperar amplas sanções contra as exportações da China do governo do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, mas sim medidas mais específicas, afirmou Klaus Baader, economista-chefe para Ásia e Pacífico do Société Générale.

Na avaliação do economista, a ideia de que Trump possa em seu primeiro dia na Casa Branca declarar a China um país que manipula sua moeda “é completamente sem sentido”, a menos que o presidente eleito possa convencer o Departamento do Tesouro norte-americano a mudar sua definição sobre isso.

Os EUA não possuem um mix de indústria doméstica que poderia se beneficiar da substituição de importações oriundas da China, portanto grandes sanções ao país asiático significariam um grande custo para a economia norte-americana, lembrou Baader. “Certamente posso imaginar tarifas em certos produtos”, afirmou ele, citando como exemplo o aço. O economista pondera, porém, que isso dependerá do desenho da política comercial do próximo governo, que ainda não está claro. “Donald Trump tem a capacidade de produzir piruetas comparáveis às de um ginasta olímpico”, disse Baader. Fonte: Dow Jones Newswires.

Receba diariamente o RD em seu Whatsapp
Envie um WhatsApp para 11 99927-5496 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários