Vereadores e empresários enfrentam-se em Santo André

Camâra-Sto-André
Os manifestantes também reprovaram o ato do vereador Luiz Alberto (PT) de rasgar a carta de repúdio ao aumento.

A sessão da Câmara de Santo André, realizada nesta quinta-feira (11), contou com manifestação de um grupo de empresários, representado por nove entidades da classe, que se posicionaram contra possível aprovação do reajuste salarial de 26,3% aos vereadores da cidade. Os manifestantes também reprovaram o ato do vereador Luiz Alberto (PT) de rasgar a carta de repúdio ao aumento, feita pelo grupo, em sessão realizada no mês de junho, pouco antes de o Legislativo entrar em recesso.

Na ocasião, o petista teve uma fala que causou revolta entres os empresários: “É palhaçada, vergonha. Tenho de prestar contas aos meus eleitores e não a vocês (entidades). Isso não me pressiona. Vou votar pela minha consciência, não por pressão de ninguém. Parece que aqui é tudo cambada de vagabundo”, disse.

Na sessão desta quinta-feira (11), Antonio Carlos Henriques, presidente do Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria de Santo André (Sipan), rebateu a declaração do vereador. “O senhor é pago por todos para prestar contas”, afirmou. Para o dirigente, as entidades são livres para expor opiniões e inclusive participar de forma mais ativa das discussões junto ao Executivo e ao Legislativo.

“Queremos que os empresários possam ver a nossa cidade crescer, nos aproximar do Poder Executivo”, disse Henriques, ao acreditar que a economia atual não é propícia para aumento de salário de políticos. “Estamos em momento de crise, com desemprego. Acho aumento de 26% um pouco exagerado”, concluiu.

Antonio-Carlos-Henriques
Antonio Carlos Henriques, presidente do Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria de Santo André (Sipan), rebateu a declaração do vereador.

O projeto tem até o final de setembro para ser votado. Enquanto alguns vereadores negam que darão voto favorável à matéria, a maioria prefere não divulgar sua posição. Atualmente, os vereadores andreenses recebem R$ 15.031. Em caso de elevação, o holerite subiria para R$ 18.991. O aumento só teria vigência na Legislação seguinte, a partir de 2017. A última vez que a apreciação do acréscimo do salário ocorreu foi em 2012.

Jogada política
O vereador Almir Cicote (PSB) afirmou que o aumento não foi cogitado pelos parlamentares. “Ventilou-se na imprensa que os vereadores estavam planejando fazer reajuste de seus salários […] Queria dizer que jamais houve esse debate na Câmara”, explicou.

Evenson Robles Dotto, presidente da Acisa (Associação Comercial e Industrial de Santo André), disse que, “diferentemente do que cogitaram alguns vereadores”, não há questões políticas envolvendo a manifestação, caso contrário, somente a entidade teria enviado a carta e não nove associações. “A gente tem o direito de se manifestar (entidades). Não existe motivação política nisso, existe é conta pra pagar, é crise. É momento de redução não de aumentar gastos”, rebate. O grupo, chamado de ABC Mais Empreendedor, é composto por entidades de diversos setores da sociedade civil, e somam cerca de 15 mil associados, além de gerar mais de 272 mil empregos.

Receba diariamente o RD em seu Whatsapp
Envie um WhatsApp para 11 94984-9581 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários