Espanha: governo descarta rescindir contrato com OHL

O governo espanhol descartou hoje rescindir o contrato com a construtora OHL em razão dos seguidos problemas apresentados nas obras de construção de um trecho da AVE, que opera linhas de trens rápidos na Espanha, na cidade de Barcelona. Ontem, uma parte da plataforma da estação de Bellvitge afundou, abrindo um grande buraco, mas não houve vítimas porque o local estava fechado. É o sexto incidente em menos de duas semanas. Por determinação do Administrador de Infra-Estruturas Ferroviárias (Adif), as obras foram paralisadas.

Até ontem o governo catalão dava praticamente como certa a rescisão do contrato com a OHL, mas hoje a ministra de Fomento, Magdalena Alvarez, descartou tal possibilidade. Ela garantiu que essa hipótese nunca foi cogitada e que o problema será solucionado. Disse que é necessário ter serenidade neste momento, já que se trata de uma obra complexa. Também negou que tivesse intenção de se demitir. “Aos que queriam que eu saísse, já aviso que não vou. Assumi uma responsabilidade com os cidadãos e vou cumpri-la até o final.”

O ministério e a construtora fecharam um acordo para contratação de empresas especializadas na impermeabilização de terrenos, para dar segurança às obras e evitar novos incidentes. As informações são dos sites dos jornais El Pais e La Vanguardia.

Receba diariamente o RD em seu WhatsApp
Envie um WhatsApp para 11 94984-9581 para receber notícias do ABC diariamente em seu celular.

Comentários