Com contrato irregular, Coop silencia sobre licitação do Sacolão Vila Luzita

A Craisa pretende abrir concorrência pública pelo espaço, para corrigir erro contratual cometido durante a gestão do ex-prefeito Aidan Ravin, em 2011.

A Coop (Cooperativa de Consumo) decidiu não se manifestar acerca do processo licitatório que a Craisa (Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André) pretende abrir para corrigir um erro de concessão cometido durante a gestão do ex-prefeito Aidan Ravin (PSB), em 2011, relacionado ao Sacolão Vila Luzita.

Conforme o RD antecipou no dia 17 de janeiro, o superintendente da Craisa, Helio Tomaz Rocha, mantém diálogo com a Cooperativa no intuito de abrir uma nova concorrência pelo espaço localizado na Avenida Capitão Mário Toledo de Camargo. A Coop desenvolve atividades comerciais no local desde 1991, quando o ex-prefeito Celso Daniel (PT) assinou um termo de permissão de uso gratuito com a empresa. A ideia do petista era incentivar o desenvolvimento econômico do bairro.

Em 2011, quando o termo expirou, segundo relata Rocha, Aidan deveria ter lançado edital para permissão de uso onerosa, respeitando a Lei de Licitações (8.666/93). Porém, decidiu aditar o contrato com a Coop por mais 20 anos. Em troca, a empresa teve de pagar pouco mais de R$ 8 milhões. Na avaliação do superintendente, a Coop deve recorrer à Justiça para tentar permanecer no espaço. “Cabe à Craisa abrir nova licitação para corrigir esse erro”, pontua.
 

Comentários